Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87
Sugestão de Leitura Envie para um amigo Imprimir

Expoentes da Codificação Espírita

maio/2014 - Por Maria Helena Marcon

No ano do seu Centenário, 2002, a Federação Espírita do Paraná optou por realizar uma pesquisa e oferecer ao Movimento Espírita alguns dados biográficos dos Espíritos que compuseram a Equipe do Espírito de Verdade, a fim de concretizar, na face da Terra, a Terceira Revelação, colocando-os à disposição do leitor amigo, enfeixando-os nesse livro.

Não foi fácil a pesquisa, considerando que alguns desses luminares preferiram se ocultar sob nomes jamais contemplados pelas Enciclopédias, nem aureolados com biografias meticulosas. Esses  somente têm seus nomes escritos nas estrelas, nas dobras do Infinito e os haveremos de descobrir quando pudermos melhor penetrar a História registrada pelos Benfeitores da Humanidade, do lado de lá da vida, esperamos.

Quem são, afinal, os Espíritos que assinam as mensagens da Codificação? Em Prolegômenos, na obra basilar O Livro dos Espíritos, encontram-se os nomes de São João Evangelista, Santo Agostinho, São Vicente de Paulo, São Luís, O Espírito de Verdade, Sócrates, Platão, Fénelon, Franklin, Swedenborg, entre outros.

Em O Evangelho segundo o Espiritismo desfila mais de uma dezena de nomes de Espíritos,  conhecidos uns, quase desconhecidos outros, entre eles os de Delphine de Girardin, Hahnemann, Henri Heine, Lacordaire, Lamennais, Morlot, Pascal, Vianney.

Em cento e oitenta e quatro páginas, se poderá descobrir alguns traços interessantes desses sábios, letrados, cientistas, religiosos, políticos, homens e mulheres de invulgar coragem, que se sobressaíram aos de seu tempo, que lutaram pela Justiça e pela Verdade, em suas jornadas reencarnatórias.

Acostumados à batalha das letras e das ideias, habituados às disciplinas rígidas, conheceram glórias e perseguições, nas épocas em que viveram na Terra. Não são, portanto, meros espectadores da Vida: são criaturas que alcançaram as cumeadas do progresso, na liça terrena, perseverando no bem, nos exercícios variados do Amor.

Quem  ler Expoentes da Codificação Espírita, poderá descobrir quem é o Espírito amigo, que dessa forma assina duas mensagens em O Evangelho segundo o Espiritismo, conhecendo-lhe a trajetória de progresso e iluminação, podendo identificá-lo, ainda, nos dias que transcorrem, apresentando dezenas de livros ao Movimento Espírita, guia espiritual de orador que viaja pelo mundo sem cansaço.

Também a vida de Delphine de Girardin, poetisa e jornalista, que viveu os dias primeiros das experiências com as mesas girantes, na Paris do Século XIX, sua amizade pelo grande Victor Hugo, e que retorna, seis anos após sua morte, para oferecer a mensagem A desgraça real, que o Codificador inseriu em O Evangelho segundo o Espiritismo.

Poderá acompanhar o Espírito Erasto, discípulo de Paulo, Apóstolo, que, segundo Allan Kardec era um Espírito superior, que se revelou mediante comunicações de ordem elevadíssima, trabalhando pela divulgação das ideias nascentes do Cristianismo e, desencarnado, ombreia com outras tantas entidades espirituais, apresentando elucidações precisas na Codificação da Doutrina Espírita.

Descobrirá o nome completo de Afonso de Liguori, citado em O livro dos médiuns, no capítulo da bicorporiedade, e que responde às questões de números 1 a 4, a respeito desse fenômeno. Também detalhes de sua vida como advogado, sacerdote, escritor que deixou cento e treze obras publicadas, além de mil e setecentas cartas.

O leitor terá acesso, embora de forma resumida, a informações desses seres extraordinários, podendo aquilatar do valor da Equipe convocada pelo Espírito de Verdade para trabalhar junto ao Codificador.

Descobrirá Benjamin Franklin, não somente como o filósofo e Homem de Estado, mas também o cientista, inventor, impressor, autor, músico, que tocava harpa,violão e violino.

E poderá melhor avaliar o pensamento universal da Doutrina Espírita, quando criaturas que serviram nas hostes católicas ou foram sacrificadas pela Igreja, devotaram-se como pastores protestantes, viveram nos tempos primeiros do Cristianismo, semeando a Boa Nova ou fundaram novas doutrinas, em séculos vindouros, se unem sob a égide do Espírito de Verdade, formulando a Terceira Revelação.

E entenderá como o Espírito navega pelos mares da Vida incessante, indo e vindo, crescendo em sabedoria, semeando cultura, praticando o bem. Compreenderá que os que promovem as grandes mudanças na face da Terra não aparecem de forma mágica, mas se constroem, através das idades, no silêncio das meditações, no estudo dedicado, no trabalho, também na dor que fortalece o Espírito.

No livro, se encontrará os que se deixaram imolar por amor à verdade, os que arrastaram, por dezenas de anos, doenças do corpo, os que sofreram a perda gradual da luz dos olhos, que padeceram as perseguições da ignorância ou do poder temporal e continuaram a servir, na forja do trabalho e da dor.

Suas letras, portanto, quando nos vêm traçar mensagens de incentivo à luta, à superação do sofrimento, ao estudo, ao crescimento moral adquirem redobrado valor.

Não são meros literatos que produzem textos de beleza indizível. São homens e mulheres que sofreram revezes, perseguições, que desafiaram a ignorância do seu tempo, que lutaram pela justiça, pelas igualdades sociais, que sacrificaram suas vidas pelos seus irmãos e pelas divisas do Bem.

São homens e mulheres que padeceram problemas físicos graves, que viveram problemas familiares, que viram seus amores partirem, que sofreram calúnias e traição, tendo, portanto, todas as condições de aquilatarem o que sejam padecimentos e superação.

São, ao todo, trinta e três biografados. E um derradeiro capítulo, que reúne onze personagens, cujos dados biográficos não foram localizados ou são bastante restritos.

Assine a versão impressa
Leia também