Jornal Mundo Espírita

Fevereiro de 2021 Número 1639 Ano 88

Entrevista com Divaldo Pereira Franco

Ecos da XXII Conferência Estadual Espírita

fevereiro/2021

Durante a realização da XXII Conferência Estadual Espírita, nos dias 13 a 15 de março de 2020, no Centro de Convenções Expotrade, em Pinhais, PR, sob os auspícios da Federação Espírita do Paraná, Divaldo Pereira Franco, conferencista, foi solicitado para uma entrevista.

As primeiras questões, elaboradas pela Área de Comunicação Social Espírita da FEP, que aqui publicamos, envolvem especialmente a obra de sua lavra mediúnica, Transição Planetária, cuja primeira edição veio a lume em 2010, tendo como entrevistador o 2º vice-presidente da Federativa:

Adriano Lino Greca:

Tendo em vista a obra Transição Planetária, do Espírito Manoel Philomeno de Miranda, o que determina a escolha dos casais para receber os Espíritos que estarão reencarnando, vindos de Alcíone*, considerando que esses não têm vínculos afetivos aqui no planeta? E por que a escolha recai em casais que optam pelos métodos de concepção artificial?

Divaldo Pereira Franco:

É para mim uma verdadeira bênção encontrar-me nesta XXII Conferência Estadual Espírita, promovida pela Federação Espírita do Paraná. A obra Transição Planetária é uma síntese do pensamento dos bons Espíritos, a respeito do Mundo de Regeneração.

Essas entidades de Alcíone são adrede preparadas para promoverem o desenvolvimento orgânico e moral das criaturas humanas em nossa Terra, no momento em que se transfere para Mundo de Regeneração. Algumas entidades, milhões delas, se ofereceram, atendendo ao apelo do emissário de Jesus, para virem modelar os novos corpos.

Da mesma forma que, no processo antropológico, o surgimento do neocórtex deu ao ser humano a possibilidade infinita de entender a beleza, a imaginação e a captação da vida transcendente, é necessário que o nosso corpo se adapte para receber as mentes das entidades evoluídas que se incorporarão – elas de uma outra onda vibratória – com alguns terrícolas.

Eis porque a fecundação in vitro e não diretamente, pela falta de identidade de pensamento e de onda mental, para proporcionar a criação dos novos biótipos, que irão constituir a raça do futuro. Entre aqueles Espíritos que tive a oportunidade de identificar e que já estão reencarnados na Terra, a forma física é absolutamente igual à nossa. Mas, há diferenças entre o homo sapiens e o pithecanthropus erectus. Houve um grande salto. Agora do homo sapiens sapiens para esse homem virtual, da imaginação, das ondas mentais, das comunicações telepáticas. Uma modificação estrutural do cérebro e de outros órgãos, para poder facilitar a vida, distante dos sofrimentos que tipificam a Humanidade terrestre. Esse o motivo pelo qual se tem recorrido, inicialmente, a um processo artificial e não apenas e só fisiológico: para poder proporcionar essa construção do ser homem e mulher novos para o futuro.

 

ALG:

Com relação aos corpos, há uma referência de que alguns órgãos não seriam mais necessários no futuro. Você poderia nos dizer quais esses órgãos que poderemos não mais ter no futuro?

DPF:

Segundo Manoel Philomeno de Miranda, o nosso trato digestivo seria aliviado. O intestino, por exemplo, seria um pouco menor. Também o estômago, porque a própria alimentação que nós iremos utilizar será menos brutal, menos artificial, como esta que nós temos utilizado, na base de hormônios. Desde as carnes variadas, que para aumentar a produção, recebem altas doses de hormônios, que são transferidos, prejudicialmente, para nosso organismo. O futuro corpo, já não tendo necessidade de uma alimentação tão densa, vem preparado para receber essa nutrição que será mais energética do que do volume de ordem material.

O aparelho respiratório também seria aprimorado para poder dar maior versatilidade à criatura humana. E os sentidos habituais, os cinco sensoriais, seriam estimulados a abrir as portas do sexto sentido, para a comunicação mais psíquica do que aquela verbal, gráfica ou oral.

 

ALG:

Que maravilha! Divaldo, com relação a Francisco de Assis: ouvimos falar que ele deverá retornar ao cenário terrestre, sobretudo em terras europeias, onde teria uma missão semelhante àquela que desenvolveu no Século XIII. O amigo poderia nos dizer se isso já se concretizou?

DPF:

Os Espíritos informam que, a partir de 2025, as reencarnações mais significativas se farão mais rápidas e mais numerosas. Até então, haverá alta incidência da depressão, que atingirá o seu clímax mais ou menos na próxima década, ou na década que iniciamos, pelos anos 24 a 26, com uma grande incidência de suicídios, que eles acreditam será a primeira causa mortis face aos transtornos emocionais, depressivos e outros conjunturais dos relacionamentos humanos. Então, penso eu que, a partir dos anos 30, Espíritos do porte de Francisco estarão reencarnando para, naturalmente, por volta de 45, se fazerem identificar como os grandes gênios da Nova Era.

 

*Alcíone ou Alcyone é uma das estrelas, na Constelação do Taurus, no enxame de estrelas conhecidas como Plêiades, ou Sete Irmãs ou ainda Sete-Estrelo. Situa-se a 368 anos-luz do nosso Sol. Segundo as informações espirituais, transmitidas pelo médium Divaldo Pereira Franco, Espíritos dela oriundos estariam reencarnando na Terra, desde o ano de 1972, no intuito de contribuir para a instalação do Mundo de regeneração

Assine a versão impressa
Leia também