Jornal Mundo Espírita

Maio de 2019 Número 1618 Ano 87

Encontro dos Dirigentes Espíritas

maio/2019

Antecedendo a abertura da culminância da XXI Conferência Estadual Espírita, no Expotrade, em Pinhais, em 14 de março, a Federação Espírita do Paraná – FEP recebeu as lideranças espíritas do Estado para um diálogo com o presidente da Federação Espírita Brasileira – FEB, Jorge Godinho Barreto Nery.

Os dirigentes foram recepcionados pela Diretoria Executiva da FEP (Adriano Lino Greca, presidente e Nélio Mauro Aguirre de Castro, 2º vice-presidente). Godinho apresentou um histórico sobre a implantação do movimento espírita no nosso País, sua história e toda a sua transição e organização.

Contou que, apenas dezesseis anos depois do lançamento de O Livro dos Espíritos, diversas pessoas começaram a estudar a Doutrina, no Brasil.

Em 1873, surgiu o Grupo chamado Confúcio1, nome dado por um Espírito muito ligado a Ismael2, que assim se autodenominou.

Compunham esse grupo Bittencourt Sampaio³, Antonio Luis Sayão4, Joaquim Travassos5. Daquele ano, há uma mensagem de Ismael antecipando o que mais tarde conheceríamos como a missão do Brasil, conforme descrita no livro Brasil Coração do Mundo, Pátria do Evangelho 6: Vale a pena rememorar, para a edificação das novas gerações, as previsões de Ismael, em rara e eloquente mensagem de transcendente significação no Grupo Confúcio, eis que ela resume a orientação espiritual no que diz respeito à missão do Brasil:

 “O Brasil tem a missão de cristianizar. É a Terra da Promissão. A Terra de todos. A Terra da fraternidade. A Terra de Jesus. A Terra do Evangelho…

 Na Era Nova e próxima, abrigará um povo diferente pelos costumes cristãos5. Cumpre ao que ouve os arautos do Espaço, que convocam os homens de boa  vontade para o preparo da Nova Era, reconhecer em Jesus o chefe espiritual. Com o Evangelho explicado à luz do Espiritismo, a moral de Jesus, semeada pelos jesuítas e alimentada pelos católicos, atingirá a sua finalidade, que é rejuvenescer os homens velhos, que aqui nascerão ou para aqui virão de todos os pontos do Globo, cansados de lutas fratricidas e sedentos de confraternidade. A missão dos espíritas no Brasil é divulgar o Evangelho em espírito e verdade. Os que quiserem cumprir o dever, a que se obrigaram antes de nascer, deverão, pois, reunir-se debaixo deste pálio trinitário: Deus, Cristo e Caridade.

Onde estiver esta bandeira, aí estarei eu, Ismael.”7

Com citações de eventos e datas, Godinho trouxe informações a respeito das dificuldades que o movimento espírita enfrentou, nos primeiros anos da sua implementação e a sua difícil consolidação, devido ao personalismo, às discussões, aos interesses naturais das nossas experiências de Espíritos com passado sombrio.

Neste cenário, em 1895, no seu segundo período de presidência, Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti8, o Médico dos Pobres,  até sua morte e depois na vida espiritual, labora em prol da União e a Unificação dos espíritas.

O presidente da FEB enfatizou a importância do Pacto Áureo, assinado em 5 de outubro de 1949,  concretizando o sonho iniciado com Bezerra de Menezes, ou seja o da Unificação da Família Espírita Brasileira.

Durante todo o Encontro com os Dirigentes, enalteceu a importância de trabalharmos unidos, fazendo frente aos desafios da divulgação da Doutrina Espírita, recordando que as lideranças espíritas assumimos compromissos antes da reencarnação para fazermos parte dessa tarefa, e deveremos prestar contas da nossa administração.

A íntegra do Encontro está disponibilizada no Canal FEP – https://www.youtube.com/watch?v=YnNtOuh_sr0&t=101s.

Importante, mesmo para aqueles que estivemos presentes, que reprisemos a audição, possibilitando-nos reflexões em torno dos compromissos assumidos, das responsabilidades que nos cabem.

 

Referências:

¹- A 2 de agosto de 1873 foi fundada a Sociedade Grupo Confúcio, primeira entidade jurídica do Espiritismo no Brasil, com estatutos impressos, amplamente noticiada na imprensa nacional e estrangeira. Nomes como os dos Drs. Siqueira Dias, Silva Neto, Joaquim Carlos Travassos, Casimir Lieutaud, Bittencourt Sampaio fizeram parte dessa sociedade, cuja divisa era Sem caridade não há salvação. A esse Grupo, de existência de menos de três anos, deve o Espiritismo no Brasil a primeira tradução das obras de Kardec, por Joaquim Carlos Travassos (Fortúnio) – REFORMADOR. Rio de Janeiro, ano 118, n. 2053, abr. 2000.

²- XAVIER, Francisco Cândido. Brasil, coração do mundo, Pátria do Evangelho. Pelo Espírito Humberto de Campos. 9. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1971. cap. Os degredados.

³- Francisco Leite de Bittencourt Sampaio – 11/2/1834 – 10/10/1895 –http://www.feparana.com.br/topico/?topico=633

4– Antonio Luis Sayão – 12/4/1829 – 31/3/1903 – http://www.feparana.com.br/topico/?topico=602

5– Joaquim Carlos Travassos – 1839 – 6/2/1915 – tradutor das obras básicas do francês para o português – http://www.feparana.com.br/topico/?topico=659

6- XAVIER, Francisco Cândido. Brasil, coração do mundo, Pátria do Evangelho. Pelo Espírito Humberto de Campos. 9. ed. Rio de Janeiro: FEB, 1971.

7- REFORMADOR. Rio de Janeiro, ano 118, n. 2053, abr. 2000.

8- Adolfo Bezerra de Menezes – 29/8/1831 – 11/4/1900 –

http://www.feparana.com.br/topico/?topico=590

Assine a versão impressa
Leia também