Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Encontro de Juventudes Espíritas

maio/2019

2º Encontro de Juventudes Espíritas da Inter-Regional Centro – ENJUESC

Foi em clima de muita alegria, que nos dias 2 e 3 de março, no Recanto Donadel, em União da Vitória, foi realizada a segunda edição do ENJUESC, reunindo jovens das Uniões Regionais Espíritas – UREs 12ª (sede Guarapuava) e 15ª (sede União da Vitória).

Nessa homenagem aos 75 anos da obra Nosso Lar, os jovens  participaram das atividades programadas por coordenadores de ambas as UREs, que contou com Palestras Interativas, Grupos de Trabalho, Cinema, Dinâmicas de Grupo, Desafios e Trilhas.

Foram ressaltadas a Responsabilidade, a Vigilância, a Disciplina, o Auxílio Mútuo, a Reforma Íntima, e propostas interessantes reflexões, à luz da Doutrina Espírita.

Houve ensino e aprendizado, com Comprometimento, Disciplina, Amor e Dedicação!

E todos partiram levando gratidão em seus corações aos dedicados e incansáveis amigos espirituais, que se mantiveram alertas e conduziram as tantas tarefas.

Até o ano próximo, para o novo reencontro, os participantes se propuseram a promover o bem onde estejam, a falar das coisas boas, a perfumar o ambiente onde se encontrem com o aroma delicado e inconfundível da alegria que contagia. Alegria que expressa gratidão pela vida.

Cássia Marília Antoszczyszyn

Encontro Espírita de Verão –  EEV

Com os feriados do período carnavalesco, chegou mais um Encontro Espírita de Verão! Isso significou revisitar profundas  emoções e receber as mais puras irradiações de amor da Espiritualidade.

Com uma imersão à colônia espiritual Nosso Lar, homenageando a obra homônima, os cento e vinte jovens das Casas Espíritas da Inter-Regional Metropolitana (UREs Metropolitanas Norte, Leste e Oeste), foram convidados a pesquisas e inquirições a respeito das questões trazidas pelo Espírito André Luiz, pela psicografia de Francisco Cândido Xavier, em 1944.

Entre outros detalhes, foi enfatizada  a importância de olhar para dentro de si e encontrar a centelha divina que ali existe, lembrando que Deus jamais abandona nenhum de Seus filhos.

Puderam, ainda, os participantes vivenciar a importância do trabalho, de ser útil sempre, auxiliando o próximo, o que significa auxiliar ao seu próprio crescimento, na busca da reforma íntima.

Dessa forma, reconheceram que os tesouros que realmente importam na vida são as virtudes que se acumula, o bem que se distribui e que essa é a chave para a própria evolução e aprimoramento moral.

Foram dias intensos, em que o sol aqueceu e  iluminou, trazendo junto à natureza que cerca e abençoa o Recanto Lins de Vasconcellos, em Balsa Nova, serenidade, paz e muitas bênçãos, propiciando a que todos retornassem energizados e fortalecidos às suas rotinas de estudo e trabalho.

Fabiane Ferreira

Mensagem de André Luiz

A vida não cessa. A vida é fonte eterna e a morte é o jogo escuro das ilusões.

O grande rio tem seu trajeto, antes do mar imenso. Copiando-lhe a expressão, a alma percorre igualmente caminhos variados e etapas diversas, também recebe afluentes de conhecimentos, aqui e ali, avoluma-se em expressão e purifica-se em qualidade, antes de encontrar o Oceano Eterno da Sabedoria.

Cerrar os olhos carnais constitui operação demasiadamente simples.

Permutar a roupagem física não decide o problema fundamental da iluminação, como a troca de vestidos nada tem que ver com as soluções profundas do destino e do ser.

Oh, caminhos das almas, misteriosos caminhos do coração! É mister percorrer-vos, antes de tentar a suprema equação da Vida Eterna! É indispensável viver o vosso drama, conhecer-vos detalhe a detalhe, no longo processo do aperfeiçoamento espiritual!… (…)

Uma existência é um ato.

Um corpo – uma veste.

Um século – um dia.

Um serviço – uma experiência.

Um triunfo – uma aquisição.

Uma morte – um sopro renovador.

Quantas existências, quantos corpos, quantos séculos, quantos serviços, quantos triunfos, quantas mortes necessitamos ainda? (…)

É preciso muito esforço do homem para ingressar na academia do Evangelho do Cristo, ingresso que se verifica, quase sempre, de estranha maneira – ele só, na companhia do Mestre, efetuando o curso difícil, recebendo lições sem cátedras visíveis e ouvindo vastas dissertações sem palavras articuladas.

Muito longa, portanto, nossa jornada laboriosa.

Psicografia de Francisco Cândido Xavier, 1943.

Assine a versão impressa
Leia também