Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2020 Número 1634 Ano 88

Divaldo Pereira Franco no Paraná

Em Foz do Iguaçu

novembro/2012 - Por Paulo Salerno e Edizio de Freitas.

Foz do Iguaçu reuniu mais de mil e oitocentas pessoas, no dia 5 de outubro, superlotando o Salão de Convenções do Hotel Golden Tulip Internacional Foz, para assistir a magnífica conferência sobre a Psicologia da Gratidão, proferida pelo tribuno e médium Divaldo Pereira Franco.

Os dirigentes espíritas da região, bem como os da Federação Espírita do Paraná desdobraram-se para bem atender o numeroso público. Representação dos espíritas da Cidade do Leste/Paraguai e de outras localidades próximas estiveram prestigiando o evento.

O Semeador de Estrelas, Divaldo Pereira Franco, narrou os fatos acontecidos com o ex-piloto dos Estados Unidos da América, Charles Plumb. Era piloto de um bombardeiro na guerra do Vietnã. Depois de muitas missões de combate, seu avião foi derrubado por um míssil. Plumb saltou de paraquedas, foi capturado e passou seis anos numa prisão norte vietnamita.

Ao retornar aos Estados Unidos, passou a fazer palestras relatando sua odisseia e o que vivenciara na prisão. Após um encontro casual com o soldado que dobrara seu paraquedas, o que lhe salvara a vida, Plumb reflexionou e passou a desenvolver o sentimento de gratidão.

Doravante, ao iniciar suas conferências, perguntava: Quem dobrou o seu paraquedas hoje?

O Sublime Peregrino de Jesus ensinou que agradecer todo o bem que aconteceu e o mal que não aconteceu, é muito importante como forma de gratidão à vida, adindo que, não menos importante, é ser grato ao mal que aconteceu, pois que traz mensagens de aperfeiçoamento.

A psicologia da gratidão é um ato de amor. Ser grato não é se limitar ao ato de retribuir. A gratidão é a única maneira de a criatura humana expressar o amor a Deus, diz Joanna de Ângelis, Espírito.

Divaldo discorreu sobre as emoções básicas do ser humano, o medo, a ira e o amor. Para se chegar à gratidão, a base é a gentileza, lecionou ele.

Finalizado o seu trabalho, o público, compreendendo a mensagem de gratidão apresentada, aplaudiu de pé o Arauto do Evangelho e do Amor, demoradamente.

Sentia-se pairar no ar o sentimento de gratidão que brotava das criaturas, exteriorizando-se em perfume do amor.

Assine a versão impressa
Leia também