Jornal Mundo Espírita

Junho de 2019 Número 1619 Ano 87
Notícias das URES Envie para um amigo Imprimir

Desencarnação de Marcelo Scaramella de Mello

abril/2018 - Por Cássia Marília Antoszczyszyn

O membro do Conselho Federativo Estadual, eleito em 2015, para o habitual período de seis anos, teve seu mandato expirado com antecedência, pela desencarnação, ocorrida em 27 de fevereiro de 2018.

Nascido em 28 de julho de 1965, em União da Vitória, Paraná, onde residia com sua esposa Simone e os filhos Marcelo, Marina e Matheus, teve como seus pais Jair de Mello e Mari D’Alva Scaramella de Mello.

Sua folha de serviço, no Movimento Espírita, soma trinta anos, ocupando vários cargos.

O Centro Espírita Amor e Caridade, dessa cidade, no qual desenvolveu suas atividades doutrinárias, o elegeu presidente em 2002, cargo que ocupou até 2010.

Abraçou a tarefa da exposição espírita, aos 36 anos e, ao ser instalada a 15ª União Regional Espírita, em 12 de fevereiro de 2010, como desmembramento da 2ª URE (Ponta Grossa) ocupou a presidência, por dois mandatos.

Na qualidade de Multiplicador do Curso de Qualificação do Trabalhador Espírita – Bases Doutrinárias, aderiu de forma ampla ao Programa de Qualificação do Trabalhador Espírita, implantado pela Federação Espírita do Paraná, em 2015.

Sempre dinâmico, exercia, atualmente, a função de Diretor do Departamento de Orientação e Dinamização do Movimento Espírita da 15ª URE (sede União da Vitória).

Com formação na área do Direito, atuava como advogado.

Sua desencarnação, depois de dois anos de luta contra a enfermidade que o acometeu, em que exemplificou sua condição de espírita, sua enfibratura moral, movimentou toda a cidade.

Vieram lhe render as últimas homenagens, não somente os companheiros do movimento espírita, mas instituições variadas, pessoas que privaram da sua amizade, clientes, homens e mulheres do povo, em geral. A aluvião de flores que lhe foi ofertada e a multidão que compareceu ao velório e ao sepultamento, atestaram amplamente o que Marcelo semeou, em seus pouco mais de cinquenta anos de existência, como cidadão, como profissional, como filho, esposo, pai, amigo e trabalhador espírita.

Foto:Acervo familiar

Assine a versão impressa
Leia também