Jornal Mundo Espírita

Abril de 2019 Número 1617 Ano 87

Desencarnação de Jorge Andréa dos Santos

março/2017

Nasceu em Salvador, a 10 de agosto de 1916. O pai tinha uma biblioteca com cerca de dois mil livros, quase na totalidade em língua francesa, porque a França estava absolutamente à frente do mundo inteiro na época.

Andréa começou a lê-los aos quatorze anos, logo após ter feito um curso de francês. Entrou na Faculdade de Medicina entre dezesseis/dezessete anos e a concluiu aos vinte e um/vinte e dois anos.

Iniciou a clinicar como cardiologista, clínico geral, e chegou a ser interno no Hospital, na área de ginecologia. Foi assistente de seu pai, lecionou na Faculdade de Medicina durante seis a sete anos.

Aos vinte e sete anos, transferiu-se para o Rio de Janeiro, a fim de se especializar e fazer concurso. Optou pela Aeronáutica.

Enquanto participava do curso de aperfeiçoamento inicial, para se adaptar à vida militar, conheceu uma jovem de dezenove anos, Gilda, com quem viria a se casar e com a qual teve oito filhos.

Foi enviado ao Ceará, findo o curso e foi lá que teve seu primeiro contato com o Espiritismo. Levaram-no para assistir a uma reunião mediúnica e percebeu no médium um processo psicológico. Começou a ler a respeito de psicologia, psiquiatria. Foi o processo mediúnico que lhe chamou a atenção para a psiquiatria e para as questões da mediunidade.

Na qualidade de médium intuitivo passou a escrever. Diz que dormia, acordava, as ideias vinham, e ele escrevia. Os desenhos esquemáticos dos seus livros também são de sua autoria.

A produção literária de Jorge Andréa iniciou-se ao final da década de 1960. Em 1967, aos cinquenta e um anos, publicou o livro Novos horizontes nas distonias mentais, sobre fenômenos espíritas. Seguiram-se: Energias espirituais nos campos da biologia (1971), Enigmas da evolução (1972), Palingênese: a grande lei (1975), Energética do psiquismo: fronteiras da alma (1976), Dinâmica espiritual da evolução (1978), Forças sexuais da alma (1978), Psicologia Espírita, v. 1 (1978), Os insondáveis caminhos da vida (1981), Encontro com a Doutrina Espírita (colaboração com Deolindo Amorim e Alexandre Sech), A dinâmica psi (1982), Correlações Espírito-matéria (1987), Com quem tu andas (em cooperação com Hermínio C. Miranda e Suely Caldas Schubert – 1987), Impulsos criativos da evolução (1989), Lastro espiritual dos fatos científicos (1989), Visão Espírita nas distonias mentais (1990), Nos alicerces do inconsciente (1990), Psicologia Espírita, v. 2 (1991) e Busca do campo espiritual pela ciência (1993), Psiquismo: fonte da vida (1995), Segredos do Espírito (1999), Ciência, Espiritismo e reencarnação (2000), Ressonância espiritual na rede física e Fiações espirituais na ciência (2006).
Divaldo Franco, seu contemporâneo e amigo, comentou: Admiro o cientista, respeito o orador e leio, com interesse, seus artigos.

Aos cem anos, Jorge Andréa dos Santos, presidente de honra do Instituto de Cultura Espírita do Brasil – ICEB, desencarnou em 1º de fevereiro de 2017.

Assine a versão impressa
Leia também