Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Desencarnação de Altivo Ferreira

abril/2016

Altivo Ferreira desencarnou no dia 24 de fevereiro de 2016, com 90 anos de idade, em Santos/SP.

Era ativo no movimento espírita desde sua juventude, no final dos anos 1930, na região de sua terra natal, Barretos/SP e na capital paulista. Frequentou Mocidades Espíritas e participou de ações históricas como a fundação da USE-SP em 1947, esteve nas Concentrações de Mocidades Espíritas do Brasil Central e Estado de São Paulo – COMBESP, movimento iniciado em Barretos em 1948 e encerrado na mesma cidade em 1966. Era conferencista neste e em outros eventos jovens.

Atuou na I Concentração de Mocidades e Juventudes Espíritas do Brasil -COMJEB,  em Marília/SP, em abril de 1965. Teve expressiva atuação e foi presidente da União Municipal Espírita de Santos (órgão da USE) e eventos da USE-SP.  Como conferencista, atendia a convites de vários Estados. Até poucos meses antes de sua desencarnação proferia palestras rotineiras em instituições espíritas de Santos.

A convite do presidente da Federação Espírita Brasileira – FEB, Francisco Thiesen, tornou-se colaborador da mesma, como diretor e depois vice-presidente, nas gestões de Juvanir Borges de Souza e Nestor João Masotti. Foi redator da revista Reformador.

Participou na organização do Congresso Espírita Internacional (1989) e do 1º Congresso Espírita Brasileiro (1999). Foi secretário geral do Conselho Federativo Nacional – CFN da FEB (2001-2004) e coordenador das Comissões Regionais do CFN/FEB.

Participou das reuniões preparatórias para a criação do Conselho Espírita Internacional – CEI, e da sua fundação em 1992. Representou a FEB em várias reuniões do CEI e compareceu aos Congressos Espíritas Mundiais até o evento em Cartagena (Colômbia, 2007).

Foi um dos representantes da FEB no 1º Encontro Mundial de Líderes Religiosos pela Paz (The Millennium World Peace Summit for Peace) promovido pela ONU, em sua sede em Nova York, no final de agosto/início de setembro de 2000.

Mesmo privado da visão manteve atuação, com apoio de secretárias e revisoras, como redator de Reformador, até março de 2012, quando deixou a vice-presidência da FEB.

Profissionalmente, foi estaticista, como funcionário do IBGE, depois economista, atuando como professor universitário e secretário municipal da Fazenda em Santos;  exerceu funções junto à Receita Federal e o Ministério da Fazenda em Brasília, durante as gestões dos presidentes Figueiredo e Sarney.

Altivo Ferreira foi homenageado na cerimônia de instalação do 16º Congresso Espírita Estadual, promovido pela USE-SP, na cidade de Santos em abril de 2015.

Quanto ao Paraná, tem gratas lembranças desse trabalhador. Quando, em 1992, na gestão de Napoleão de Araujo, a Federação Espírita do Paraná – FEP organizou o I Simpósio Paranaense de Espiritismo, de 31 de outubro a 1º de novembro, em Curitiba, Altivo Ferreira foi um dos conferencistas, ao lado de Divaldo Pereira Franco e José Raul Teixeira.

Retornou, em 1996, 1998 e em 2000, ilustrando, com seu verbo, as Conferências Estaduais Espíritas.

Na qualidade de vice-presidente da FEB, como convidado, participou da reunião do Conselho Federativo Estadual, em agosto de 2005.

Em 14 de abril de 2009, ao ensejo do lançamento do Projeto Centenário de Chico Xavier, novamente esteve na FEP.

Retornaria, no mesmo mês, ao ensejo da realização da reunião da Comissão Regional Sul, em Curitiba. E, a 25 de abril, em emocionante cerimônia, quando da afixação do retrato de José Virgílio Goes, na Galeria dos presidentes, na Sede Histórica, foi Altivo Ferreira, ainda vice-presidente da FEB quem, com um discurso de alta sensibilidade, cheio de reconhecimento e afeto, demarcou a homenagem especial a Góes.

Altivo Ferreira era um grande trabalhador espírita. Especialmente, um amigo. Que nossas vibrações de sincero afeto o alcancem, onde se encontre, na Espiritualidade.

Antonio Cesar Perri de Carvalho e
setor de Comunicação Social Espírita/FEP.

Foto: Marcelo J. de Sousa

Assine a versão impressa
Leia também