Jornal Mundo Espírita

Maio de 2019 Número 1618 Ano 87

Ciência Espírita

novembro/2011

Este é o título de capa da revista Superinteressante do mês de outubro de 2011. Nos subtítulos a revista afirma que os cientistas “acreditam em espíritos e reencarnação”. Avança dizendo que “estão usando o laboratório para provar que tudo isso não é apenas questão de fé”.

O justo entusiasmo que nos toma o coração, não nos impede de raciocinar mais amplamente e entender que não se deve generalizar e concluir, erroneamente, que o assunto está encerrado.

Trata-se de uma parcela expressiva de nomes respeitáveis que falam de suas experiências, em contraposição a imensa massa de silenciosos que se ocultam na intimidade de seus gabinetes e laboratórios com o velho medo de se exporem no mundo acadêmico, sem a coragem de um William Crookes, o gênio inglês das materializações. O descobridor do tálio, da matéria radiante, dos raios catódicos, do processo de beneficiamento da prata e do ouro e tantas contribuições dadas, afirmou na Sociedade Real de Londres: “Não vos digo que os fenômenos espíritas são possíveis, eles são de fato incontestáveis”, como está demonstrado no livro “Fatos Espíritas”, editado pela FEB.

Na reportagem, a revista desfila informações que certamente influenciarão outros bem intencionados.

Frederico Leão, da USP – Universidade de São Paulo trabalha a eficácia das terapias mediúnicas; San Nardia, da Universidade de Southhampton (Inglaterra), busca comprovar a comunicação com os mortos; Herlendur Haraldsson, da Universidade da Islândia, tem encontrado evidências da reencarnação…

Certamente é uma terceira onda. A primeira veio com Charles Richet, prêmio Nobel de medicina em 1913, com seu Tratado de Metapsíquica lançado em Paris em 1922. Depois, a segunda, no Congresso de Utrecht, na Holanda, em 1935, com a parapsicologia. Agora, é a vez da paraciência, com figuras consagradas como Raymond Moody, Ian Stevenson, Patrick Drouot, François Brune e os acima citados pela Superinteressante.

Mas não nos iludamos! As trevas não dormem e não descansarão enquanto não puderem lançar novas agressões contra a luz do Consolador. É o espírito do Anticristo citado por João em sua I epístola, capítulo 4:3.

A força do amor sempre vence. Aguardemos trabalhando porque o fenômeno que mais convence é o exemplo das nossas ações no Bem.

Assine a versão impressa
Leia também