Jornal Mundo Espírita

Julho de 2020 Número 1632 Ano 88
Notícias das URES Envie para um amigo Imprimir

Movimento Espírita do Paraná

Centro Espírita João Batista – Jacarezinho

fevereiro/2007 - Por José Aparecido Santos

Datam do século XIX, mais precisamente do ano de 1898, as primeiras tentativas de colonização de um dos primeiros pólos agrícolas do Estado, por fluminenses, paulistas e mineiros. Já no ano de 1900 teve sua condição elevada a Município, com o nome de Nova Alcântara, adotando a denominação atual, Jacarezinho,  através da Lei nº 471, de 3 de março de 1903.

Situada em ponto estratégico, com ligações rodoviárias com as mais importantes cidades do Paraná e São Paulo, fica eqüidistante 400 km das capitais de ambos os Estados.

Foi ali, nas primeiras décadas do século XX, que um pioneiro, Hipólito Silvério Pinto, teve a idéia de fundar um Centro Espírita. A solidariedade de outros companheiros de Ideal Espírita o secundaram: Joaquim Viana de Carvalho, Joana Almeida de Carvalho, Appio Madureira, Maria Alice Madureira, Antonio Andrade, Policarpo Dias da Fonseca, Zeferino da Silva, Domingos Rancã, Eurico D´Almeida, Tita Bonilha, José Franco, Ana Franco, Antonio Rodrigues Garcia, Maria Romero, Ana Machado, Benedito Moreno, Imilio de Oliveira, os irmãos Walter e Francisco, Pedro Alves, Antonio Fagundes, Nilo Costa, Sebastião Franco, Manoel Franco, Francisco Antonio, João Pereira, Benedito Cunha, Cornélio Alves e Severina Pires.

Nasceu, assim, em 12 de outubro de 1935, o Centro Espírita João Batista, que teve como sua primeira sede, em caráter provisório, imóvel situado na Rua Marechal Deodoro, 719.

Desde as primeiras horas, a liderança de Hipólito contatou a Federação Espírita do Paraná – FEP, no intuito de receber melhores orientações para a correta atividade a ser desenvolvida no núcleo nascente.

Analfabeto embora, prevalecia o bom senso naquele líder que assumiu a Presidência do Centro Espírita, cargo que honraria com muito trabalho, mesmo tendo, a partir de 1939, sua saúde abalada, até a data de sua desencarnação a 27 de novembro de 1942.

No ano mesmo de sua fundação, por iniciativa daqueles trabalhadores ousados, iniciou-se a construção da sede própria, na mesma rua, no número 701. A 3 de novembro de 1939, a construção em alvenaria, de pouco mais de 49 metros quadrados, foi inaugurada.

Com a desencarnação de Hipólito, convocou-se assembléia geral e definiu-se a nova diretoria, em 30 de novembro de 1942, tendo como Presidente, Joaquim Viana de Carvalho; Secretário,  Antônio Rodrigues Garcia e Tesoureiro, Policarpo Dias da Fonseca.

Os anos se sucederam com Joaquim Viana de Carvalho na Presidência, sendo ele o principal responsável pela construção do prédio atual, iniciada em 1947 e concluída três anos após.

No histórico do Centro Espírita consta que o Sr. Pedro Peterson, que presidia a Sociedade Espírita Cairbar Schutel, na mesma cidade, fez doação dos bens móveis e imóveis daquela Sociedade, patrimônio que, após venda aprovada pelo Conselho Federativo Estadual da FEP, permitiu a ampliação da obra, abrindo espaço para o Albergue Noturno e salas para Escola Pública.

Durante décadas funcionou o Albergue Noturno, a Escola Primária João Ghignone e Ambulatório Médico para pessoas carentes, esse sob a direção do Dr. Salomão Nassif Sfeir.

Em 1970, as salas foram transformadas e passou a funcionar a Escola de Corte, Costura e Trabalhos Manuais Manoel Fernandes de Sá, substituída posteriormente pela Associação Protetora do Recém-Nascido, existente e ativa na atualidade, oferecendo enxovais a recém-nascidos de mães carentes.

Joaquim Viana de Carvalho desencarnou no ano de 1984 e, desde então, foram os seguintes os Presidentes da Instituição: José Lázaro Boberg (1984 – 1985); Marco Antonio da Silva (1986 – 1987); Luiz Boberg Júnior (1988 – 1989); José Aparecido Sanches (1990 – 1991/ 1992 – 1993/ 2004 – 2007); Antônio José Saviani da Silva (1995 – 1997) e Maria Luiza Otênio Costa Boberg (1997 – 2000/ 2001 – 2003).

O Centro Espírita João Batista pertence à região de abrangência da 4ª União Regional Espírita – URE, e desenvolve atividades de Palestras Públicas, Estudo da Doutrina Espírita, Jornada Espírita anual, mantendo ainda Livraria, Clube do Livro Espírita, Boletim mensal e site na Internet (www.cejb.oirg.br).

Assine a versão impressa
Leia também