Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Catalepsia e letargia

maio/2008

Na letargia, as forças vitais são dissipadas e o corpo adquire a aparência da morte, num sono profundo.

Na catalepsia, essa suspensão das forças vitais, às vezes, fica localizada.

Os letárgicos e catalépticos em geral observam o que acontece em derredor. O espírito tem consciência de si, mas não pode comunicar-se.

O corpo não está integralmente morto, mesmo quando se inicia a decomposição.

O perispírito se acha ligado ao corpo por mínimos pontos. Sua vitalidade se encontra em estado latente. Diferente da morte real, quando as moléculas do corpo perispiritual já se têm separado do corpo carnal. Os laços que prendem um ao outro são rompidos totalmente e o Espírito não tem condição de voltar ao seu envoltório.

Na Bíblia, encontram-se esses fenômenos em várias passagens. A ressurreição de Lázaro é o mais conhecido. Ele estava sepultado havia quatro dias e ocorria um estado avançado de decomposição. Jesus sabia tratar-se de um caso de separação quase integral do espírito. A ligação perispirítica à matéria era muito tênue. Só o Mestre poderia fazê-lo voltar à vida.

No livro “Céu e Inferno!, de Allan Kardec, temos o exemplo de um caso de catalepsia. Um escritor, ano 1850, foi acometido de um ataque cerebral. Quinze dias depois do enterro a família pede exumação porque o medalhão havia sido esquecido no caixão. O corpo havia mudado de posição e uma das mãos havia sido em parte comida.

Quando Allan Kardec conversa via mediúnica com o Sr. Antonio B…, sabe a causa de sua expiação: ele em existência anterior enterrara sua esposa viva num fosso.

Depois do conhecimento e constatação de tantos casos como este, hoje o sepultamento não é imediato, salvo casos particulares.

A catalepsia e a letargia são fenômenos que ocorrem desde os tempos mais remotos, aturdindo a Humanidade. Foi por essa razão que Allan Kardec dedicou 3 questões, as de nº 422, 423 e 424, a tão complexo assunto e completou as respostas dos benfeitores com precioso comentário, dizendo:

“A letargia e a catalepsia derivam do mesmo princípio, que é a perda temporária da sensibilidade e do movimento, por uma causa fisiológica ainda inexplicada. Diferem uma da outra em que, na letargia, a suspensão das forças vitais é geral e dá ao corpo todas as aparências da morte; na catalepsia, fica localizada, podendo atingir uma parte mais ou menos extensa do corpo, de sorte a permitir que a inteligência se manifeste livremente, o que a torna inconfundível com a morte. A letargia é sempre natural; a catalepsia é por vezes magnética.”

Assine a versão impressa
Leia também