Jornal Mundo Espírita

Abril de 2019 Número 1617 Ano 87

Cante

março/2019 - Por Cezar Braga Said

I Cor, 14:15

Sempre que a dor o visitar, se possível, cante!
Quando a solidão bater à sua porta, se conseguir, cante!
Se o desencanto e a angústia chegarem, cante!
Caso o medo queira fazer morada nos seus pensamentos, cante!
Quando não souber o que fazer, cante!

Cante que as respostas chegarão, as portas se abrirão, os caminhos surgirão, as soluções aparecerão e a vida retomará seu curso, ganhará novo colorido e sentido.

Há um canto oculto e ignorado em algum lugar do nosso coração desejando sair e ecoar.
Há uma voz amordaçada querendo se fazer ouvir.
Há um som melodioso desejando nascer em nosso peito, como um sol desfazendo a escuridão num dia nublado e chuvoso.
Há uma sinfonia de criatividade, sonhos e sensibilidade, presa em nossa alma, clamando por liberdade e alegria.
Liberte-a!
Deixe que esse rio de beleza siga seu curso e alcance o mar…

Cantar com gosto, raça, rogando forças, transformando o canto numa oferenda de si mesmo ou simplesmente celebrando a vida, é também um modo de orar.

Quando nossa alma canta, outras almas cantam conosco e recursos inimagináveis surgem do infinito para nos sustentar, ajudando-nos na difícil travessia da crise vivida.

A sabedoria popular já ensina que quem canta seus males espanta.
E como cada dia tem sua quota de dificuldades e não desejamos ampliá-las, precisamos de cuidado para fazer boas escolhas, pensar positivamente, eliminando mágoas e ressentimentos, esvaziando-nos do que não nos faz bem.

Nenhum de nós foi esquecido por Deus.
Ele cuida e provê incessantemente as nossas necessidades, desde que façamos a parte que nos compete.

Cante pelo simples fato de cantar, pela alegria de exprimir seus sentimentos, abrindo as comportas do que está represado, dando vazão, promovendo alívio e bem-estar.

Cante sozinho ou com alguém, para si, para os outros, para quem quiser ouvir, para se ouvir.

Chore, sorria, silencie, escreva, fale, plante, colha, pense, sinta, trabalhe, descanse, dance, medite, estude, pinte, desenhe, componha, viaje, mas que em tudo isso haja a sua canção particular, a sua melodia, o seu compasso, a sua harmonia única e especial. Que haja a voz do seu coração.

Cante!

Assine a versão impressa
Leia também