Jornal Mundo Espírita

Maio de 2019 Número 1618 Ano 87

Câmaras do Rio de Janeiro homenageiam os 150 anos de O livro dos espíritos

com palestras de Raul Teixeira

junho/2007 - Por Alex Vieira

O orador espírita Raul Teixeira esteve, como convidado, durante o mês de abril, participando de várias solenidades, que foram levadas a efeito nas homenagens ao Sesquicentenário de O Livro dos Espíritos, livro a partir do qual teve nascimento no mundo a Doutrina Espírita. A sua publicação, em primeira edição, aconteceu em Paris, no dia 18 de abril de 1857.

Na noite de 17 de abril, Raul Teixeira proferiu palestra na cidade serrana de Petrópolis, no Teatro Municipal, uma vez que a Câmara Municipal há anos instituiu o “Dia do Espírita”, fazendo-o coincidir com o dia do lançamento de O Livro dos Espíritos, na França. Na ocasião, o orador também foi homenageado pelo transcurso de 40 anos de oratória espírita, celebrado no dia 8 de abril, quando foi saudado pelo Dr. Humberto Portugal Karl, médico homeopata da cidade que, na oportunidade, representava o Conselho Espírita do Estado do Rio de Janeiro, o CEERJ.

Em 18 de abril, na cidade de Niterói, foi a vez de Raul Teixeira desenvolver sua oratória no plenário da Câmara Municipal, no dia em que se comemoravam os 150 anos do livro básico do Espiritismo. Niterói também saúda a cada ano o “Dia do Espírita”, oficializado por seus Edis, idealizado pelo jovem vereador Felipe Peixoto, ocasião em que, com uma sessão solene, se evoca a grandeza de O Livro dos Espíritos, como marco de luz para o progresso intelectual e moral da criatura humana que dele se acerca.

Nesse 18 de abril, novamente foi homenageado o orador Raul Teixeira pelas suas 4 décadas de oratória espírita a serviço da divulgação do bem, semeando mensagens de amor e de paz, tendo levado a todos os Estados brasileiros e a quarenta Países os ensinamentos da veneranda Doutrina Espírita, mas também o nome de sua cidade natal, Niterói. Foi-lhe conferido o diploma de Cidadão Benemérito. Recebeu ainda o nosso orador, das mãos de sua primeira orientadora de juventude espírita, Srta. Lucide Nolasco, um exemplar de O Livro dos Espíritos, na tradução de Evandro Noleto Bezerra, publicação especialmente feita pela Federação Espírita Brasileira para assinalar a data festiva.

Lucide, muito emocionada, saudou o antigo pupilo e amigo, que, muito sensibilizado, agradeceu a honraria do diploma, entregue pelos Vereadores Felipe Peixoto, Paulo Eduardo e Satiê Misubuti, e do livro recebido pelas mãos tão queridas de Lucide Nolasco.

Já no dia 25 de abril, foi a vez da Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro prestar a sua homenagem ao Sesquicentenário do Espiritismo, com nova palestra de Raul Teixeira, no seu plenário literalmente tomado por espíritas e simpatizantes.

Aberta a solenidade pelo Presidente da sessão, o jovem Vereador Átila Nunes Neto, usou a palavra o representante do CEERJ, que fez menção à magna data para os espiritistas e homenageou os 40 anos de atividades espíritas do conferencista da noite. Após, falou o Deputado Estadual Átila Nunes Filho, focalizando a importância dos conhecimentos espíritas para a sua vida marcada pelo espiritualismo, desde muito cedo.

Em sua conferência, Raul enalteceu o pensamento sublime do Espiritismo, o trabalho vultoso e incansável de Allan Kardec, bem como evocou a audácia positiva de tantos indivíduos que atuam nos espaços do bem e que vibram com a Doutrina Espírita, assumindo as lutas gradativas que nos deverão libertar das sombras da ignorância e do mal, pouco a pouco, até o dia da nossa plena libertação, quando fizermos uso adequado do “fogo sagrado” da inteligência de que nos dotou o nosso Pai Criador.

Átila Nunes Neto, Presidente da sessão solene, deixou sua mensagem final, enfocando significativamente a importância daquele evento para aquela Casa de Leis, destacando as dificuldades dos embates políticos, em cujos meandros a lucidez das reflexões espíritas tornam-se indispensáveis para que se possa pensar no bem-estar da comunidade.

Coroavam-se de bênçãos as homenagens de abril a O Livro dos Espíritos em Petrópolis, em Niterói e na cidade do Rio de Janeiro, deixando-nos na alma em festa a certeza de que tudo deveremos fazer para que esse livro seja cada vez mais conhecido por aqueles que anseiam pelo progresso amplo de si mesmos, e de que nós, espíritas, temos necessidade de melhor conhecê-lo, de cada vez mais entendê-lo, a fim de capacitar-nos para vivenciar os seus poderosos ensinamentos.

Assine a versão impressa
Leia também