Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87
Sugestão de Leitura Envie para um amigo Imprimir

Ave, Cristo!

junho/2010

Foi em 1953 que esta obra extraordinária veio à luz dos interesses humanos.

Contém belas e educativas páginas sobre a história do Cristianismo nascente.

Mais de dois séculos já se haviam passado, desde a inesquecível tragédia do Gólgota.

Em que pesem as perseguições que se faziam cruéis, a candeia acesa por Jesus insistia em projetar sua meridiana claridade na densa noite da ignorância que consumia o planeta.

Roma prosseguia em sua desdita nos braços do poder temporal, embriagando-se no mentiroso vinho da política dominadora e das fantasias religiosas.

Contrariamente, o Evangelho, como bússola abençoada, continuava a mostrar o caminho da libertação às almas desejosas de um mundo melhor.

Tudo começou em 217 d.C., quando Caracala governava inflexível, com suas mãos criminosas, os interesses do Império.

A história gira em torno da dolorosa experiência de Quinto Varro, que reencarnou obstinado pela salvação do filho amado e ingrato, que ainda se deixava seduzir pelos espetáculos sangrentos do circo, fiel aos deuses de barro de sua época.

Descrita com a magia literária do autor, envolve outros personagens notáveis da epopeia cristã, como Ápio Corvino e Átalo de Pérgamo, que foram mortos por testemunharem a nova fé.

Traído por seus familiares, enganado pela esposa, perseguido pelos inimigos e incompreendido nos seus ideais, jamais desistiu de sua gloriosa tarefa.

Sua fidelidade ao Cristo, sob dores acérrimas, é de emocionar os mais insensíveis corações.

Passados cem anos, que consumiram duas existências, Quinto Varro consegue trazer para junto de si o seu primogênito tão querido.

O livro termina descrevendo os momentos derradeiros, dizendo-nos:

“Deslumbrante caminho descerra-se nos céus…

“Embriagado de júbilo, Quinto Varro colou o filho de encontro ao peito e, rodeado pela grande assembleia de amigos, avançou para o alto, como um lutador vitorioso que conseguira subtrair ao pântano de sombra um diamante castigado pelos cinzéis da vida, para fazê-lo brilhar à plena luz…”

Autor espiritual: Emmanuel
Médium: Chico Xavier
Editora: FEB

Assine a versão impressa
Leia também