Jornal Mundo Espírita

Agosto de 2019 Número 1621 Ano 87

Argentina homenageia Divaldo Pereira Franco

janeiro/2013

A Confederação Espírita Argentina – CEA promoveu, no dia 11 de novembro último, em Buenos Aires, significativa comemoração ao cinquentenário de atividades espíritas de Divaldo Pereira Franco, naquele país.

Foi em 1962 que, realizando sua primeira viagem internacional, como orador, Divaldo realizou três conferências nessa cidade. Na mesma oportunidade, recepcionou, mediunicamente, o Poema da Gratidão, do Espírito Amélia Rodrigues.

Ao evento comemorativo compareceram a Presidente da Sociedade Espírita Constancia, Nilda Brunetti; a Vice-Presidente da Sociedade Espírita La Fraternidad, Ana Maria Melo; Inés Di Cristóforo e Hebe Mariotti, representando os jovens que compunham a Federação Espírita Juvenil Argentina – FEJA, no ano de 1962; José Buffi, ex-Presidente da FEJA; Félix Renaud, ex-Presidente da CEA; Milciades Lezcano, Presidente da Federação Espírita Paraguaia e Eduardo dos Santos, Vice-Presidente da Federação Espírita Uruguaia, além de delegações de várias regiões do país, como de La Plata, Província de Buenos Aires;  de Córdoba e de La Rioja.

Divaldo Pereira Franco foi apresentado pelo Presidente da CEA, Gustavo Martinez, que lhe enalteceu a tarefa como orador de projeção mundial e o amplo trabalho assistencial empreendido em Salvador, na Bahia, na Mansão do Caminho.

A fala de Divaldo relacionou os perseverantes e profundos estudos efetuados por destacados cientistas, visando estabelecer sólido vínculo entre Ciência e Espiritualidade, e citou as conclusões a que chegaram na comprovação da existência de Deus, finalizando com o relato da emocionante composição de Georg Friedrich Haendel, O Messias

Concluindo sua oratória com o Poema da Gratidão, permitiu que a emoção a todos envolvesse, enquanto pronunciava os últimos versos, ao som do Aleluia, de O Messias.

No dia 12, Divaldo compareceu na Instituição Espírita Joanna de Ângelis, participando da reunião de estudos, servindo-se da palavra para relatar dois singulares contos, associados com reflexões sobre conceitos das obras da Codificação Espírita.

Assine a versão impressa
Leia também