Jornal Mundo Espírita

Julho de 2020 Número 1632 Ano 88

Anúncios da Nova Era

Curso de Felicidade

outubro/2017

O professor Tal Ben-Shahar é conhecido por dar as aulas mais concorridas da Universidade Harvard: os chamados Cursos de Felicidade.

O israelense ensina aos alunos como serem felizes e mais realizados. Escritor, conferencista e antigo professor de Psicologia Positiva e Psicologia da Liderança, em Harvard, Shahar explica que é preciso afastar o pessimismo. Ele acredita que o excesso de notícia ruim distorce a realidade humana.

Histori­camente, o pessimismo era uma vantagem evolutiva, porque havia mui­tos perigos e tínhamos de estar sempre a olhar para trás para sobreviver. Mantemos a estrutura mental e a he­rança genética dos nossos primitivos antepassados, que é pessimista, preocupada e ansiosa. Por outro lado, as coisas negativas são a exceção e por isso são essas que chegam às pri­meiras páginas dos jornais – terrorismo, acidentes, guerras, ódios, mortes – enquanto todas as coisas boas que acontecem todos os dias, em todo o mundo, a toda hora, não são notícia. Isso distorce a realidade.

O professor concorda que não se deve buscar felicidade, mas o equilíbrio, porque ninguém pode ser feliz sempre.

A primeira lição que dou na minha aula é que nós precisamos nos conceder a permissão de sermos seres humanos. Isso significa vivenciar emoções dolorosas, como raiva, tristeza e decepção. Temos dificuldade de aceitar que todo mundo sente essas emoções, às vezes. Não aceitar isso leva à frustração e à infelicidade.

O que realmente interfere na felicidade é o tempo que passamos com pessoas que são importantes para nós, como amigos e familiares — mas só se você estiver por inteiro: não adianta ficar no celular quando se encontrar com quem você ama. Hoje, muita gente prioriza o trabalho em vez dos relacionamentos, e isso aumenta a infelicidade, alerta.

E para ser feliz, é importante ter amigos, boas relações, o que é difícil nesses tempos de internet e redes sociais.

Mil amigos no Fa­cebook não substituem um melhor amigo real e infelizmente as amiza­des estão a desfazer-se à medida que as relações entre as pessoas se es­tabelecem online. Os estudos dizem que os amigos e as relações são um elemento essencial da felicidade. Te­mos de tornar uma prioridade das nossas vidas a criação de relações reais, cara a cara.

 Rinaldo de Oliveira
www.sonoticiaboa.com.br, em 30.7.2017

Assine a versão impressa
Leia também