Jornal Mundo Espírita

Outubro de 2020 Número 1635 Ano 88

Anúncios da nova era

Jardineiro cidadão: Paris incentiva povo a aumentar verde da cidade

agosto/2016

Uma Paris romântica e mais verde.

A cidade luz poderá ter um quarto de sua superfície coberta por vegetação, até 2020, se conseguir implementar um programa ousado de seis metas.

Entre elas, a capital da França quer que os novos prédios tenham coberturas com jardim e que sejam criados trinta hectares de espaços públicos verdes.

Outra meta é o convite para que os habitantes se tornem jardineiros de seus bairros. É o programa Du vert près de chez moi (Verde perto de mim), lançado pelo Executivo Parisiense, em 2014, que recebeu mais de mil e quinhentas propostas de cidadãos, sendo elencadas duzentas e nove, como viáveis de implantação.

Após escolher os pontos de plantio, os moradores recebem uma licença que tem duração de três anos (é renovável) e que lhes permite plantar nos espaços públicos de seus bairros.

A iniciativa também oferece consultorias sobre as espécies mais adequadas para cada caso e quais as melhores formas de realizar o plantio.

 

Jardineiro cidadão

No momento em que o município concede a licença a um novo jardineiro cidadão, também lhe entrega um kit de jardinagem e exige que ele assine um termo de compromisso, que marca a diferença do programa em relação a iniciativas individuais.

Esse termo garante que os cidadãos não utilizem pesticidas e exige a manutenção das plantas, canteiros e outros elementos que envolvem o plantio.

www.sonoticiaboa.com.br em 27.4.2016.

 Primeiro, reverdecemos o nosso entorno. Aprendemos a plantar, conservar, nos tornarmos responsáveis pelos nossos cultivos exteriores.

E como O menino do dedo verde (obra escrita por Maurice Druon, que foi nomeado Ministro da Cultura francês, em 1973), plantemos flores em todos os locais onde medre a tristeza, a enfermidade, a violência.

Cultivemos as cores exuberantes das virtudes e instalemos a eterna primavera em nossos corações, extravasando-a para o mundo.

Assine a versão impressa
Leia também