Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2018 Número 1610 Ano 86

Anúncios da nova era

Bailarina com perna amputada volta a dançar balé

junho/2016

Uma prótese de ponta de pé específica para dançar balé clássico devolveu à Melina Reis um sonho de criança. Após um acidente de carro há treze anos, mais de trinta cirurgias e complicações, a bailarina sofreu uma amputação na perna esquerda.

O desafio de permitir que ela voltasse a calçar as sapatilhas foi abraçado por um especialista em próteses de Campinas, SP.

O molde foi feito a partir do pé normal de Melina. Foi preciso aplicar conceitos de biomecânica e cálculos matemáticos para buscar uma inovação na área.

Eu fiz uma varredura na literatura e não tem nada publicado em relação a confecção de pé para uso em sapatilha de ponta para a realização de balé clássico, conta o médico especialista em próteses José André Carvalho, diretor do Instituto de Prótese e Órtese de Campinas.

 

Amputação e a primeira prótese
Há um ano, após complicações na perna afetada e sofrer a amputação, Melina passou a usar uma prótese no lugar do pé esquerdo. A pergunta se o sonho de menina havia se perdido para sempre era inevitável.

 

Prótese rara
Usando resina, fibra de carbono e gesso, Dr. Carvalho conseguiu atingir o resultado que ela esperava, mas esse era só o primeiro passo em busca da perfeição em cada movimento.

O desafio é ela conseguir se manter equilibrada sobre a prótese usando como área para apoio 1cm², explica o especialista.

Após testes e alguns ajustes, devido à diferença de altura, por exemplo, a prótese ficou pronta e se encaixou perfeitamente dentro de uma sapatilha de balé clássico, do jeito que ela queria.

A maior dificuldade é o nervosismo, a emoção, que não dá para controlar muito bem, e a questão do equilíbrio mesmo, conta Melina.

 

De volta aos ensaios

Poucos dias após o fim dos testes, Melina se misturou a outras bailarinas, com o mesmo porte e dedicação, em aulas de balé. E virou referência de superação para as demais alunas.

Foi maravilhoso. Eu me senti viva de novo. Parece que estou vivendo um sonho, nem parece que é verdade, diz emocionada.

Globo.com. G1-Campinas e Região. 14.3.2016.

Assine a versão impressa
Leia também