Jornal Mundo Espírita

Dezembro de 2019 Número 1625 Ano 87

Anúncios da nova era

Malala Yousafzai

outubro/2015

Fica entre as primeiras colocadas em exame acadêmico britânico

Em dezembro de 2013, o Jornal Mundo Espírita enfocou, na coluna Lições para a Vida, a paquistanesa que se tornou símbolo da luta pelos direitos da mulher à educação.

Agora, de Londres, nos vem a notícia de que Malala Yousafzai, vencedora do Prêmio Nobel da Paz, em 2014, tem outro motivo para comemorar. Ela obteve uma sequência de notas altíssimas nos exames GCSE, o certificado geral do ensino médio, extremamente rigoroso, aplicado aos adolescentes no Reino Unido.

Seu pai, Ziauddin Yousafzai, tuitou na sexta-feira, 18 de agosto, que sua filha de dezoito anos havia tirado seis notas A+ e quatro A, ficando entre os primeiros colocados. Malala completou os exames dois anos mais tarde que a média no país.

Depois de se tornar conhecida, mundialmente, como ativista da educação para meninas e ser baleada na cabeça pelo Talibã, no Paquistão, em 2012, sua família se mudou para Birmingham, no Reino Unido.

Ela é a pessoa mais jovem do mundo a conquistar um Prêmio Nobel da Paz (17 anos).

A imprensa paquistanesa a parabenizou pelos resultados. Nada que Malala Yousafzai conquiste parece surpreender, mas ela continua a fazer com que o Paquistão se orgulhe, disse o Express Tribune, jornal paquistanês de língua inglesa.

Sim, Malala demonstra que não somente luta pelos direitos de todas as meninas paquistanesas, em seu país, poderem ter acesso à instrução, quanto demonstra, pelo esforço pessoal, que está aproveitando muito bem a oportunidade que lhe foi concedida de viver em um país em que o acesso aos bancos escolares lhe é franqueado.

http://oglobo.globo.com/mundo

Assine a versão impressa
Leia também