Jornal Mundo Espírita

Maio de 2019 Número 1618 Ano 87

Ame!

maio/2008 - Por José Venício de Azevedo

Esta pequena estória-opinião foi-nos doada por um sábio.

Sábio – todos sabemos – é aquele que muito sabe, que tem extensos e profundos conhecimentos, tanto gerais, quanto em determinadas especialidades, é também chamado de erudito, sensato, equilibrado. O sábio pode denotar arte, sabedoria, habilidade ou ciência. Existe o sábio voltado para as coisas do mundo da ciência e do conhecimento humano em geral e o sábio que age e fala em conformidade com a razão e a moral, com prudência e experiência de vida, distinguindo-se pelo seu grande saber, pela vivência do mundo e por levar uma vida exemplar. E agora surge uma pequena-grande indagação: como pode, num ciclo de vida humana que dura, para alguns, em média, de sessenta a oitenta anos, adquirir tanta sabedoria nesse exíguo espaço de tempo? Dedicação aos estudos? Cérebro privilegiado, com alto quociente de inteligência (QI)? Neurônios excepcionalmente dotados? A ciência não explica ao certo, só teorias não comprovadas.

Entretanto, existe uma explicação – segundo a filosofia espírita – que indivíduos assim dotados, de alta sapiência intelectual e moral, são espíritos evoluídos, que aqui na Terra encarnam, após muitas e muitas encarnações, dentro da infinitude da vida espiritual que é eterna, onde foram adquirindo, nas diversas vidas sucessivas, toda a sabedoria de que hoje são possuidores.

Mas agora, vamos à nossa pequena estória-opinião.

Um esposo foi visitar um sábio-conselheiro e disse-lhe:

-Já não amo minha esposa e penso em separar-me dela.  Que me aconselha?

O sábio escutou-o, olhou-o nos olhos e disse apenas uma palavra:

-Ame-a!

-Mas, senhor sábio, já não sinto nada por ela! – retrucou o consulente.

-Ame-a!! – disse-lhe novamente o sábio, em tom mais incisivo.

E, diante do desconcerto do visitante, depois de um breve silêncio, retornou o sábio:

-Amar é uma decisão e, também, um sentimento. Amar é dedicação e entrega… Amar é um verbo e o fruto dessa ação é o amor… E o amor, é como o exercício de jardinagem: prepara-se a terra, semeia-se, arrancam-se as ervas daninhas e aguarda-se o seu crescimento, pacientemente, regando e cuidando… Porém, esteja preparado, porque haverá pragas, estio ou excesso de chuvas mas, nem por isso, abandone seu jardim…

E continuando:

-Ame seu par, ou seja, aceite-o, valorize-o, respeite-o, dê-lhe afeto e ternura, admire-o e compreenda-o. Quanto mais isto você fizer, retorno mais quantificado e qualificado haverá.

-Ame!!! – concluiu o sábio, encerrando a consulta.

 

Assine a versão impressa
Leia também