Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Aferição de valores

outubro/2019

Quando se leem as páginas gloriosas sobre as vidas dos mártires e dos heróis de todos os matizes, emoções superiores invadem os sentimentos humanos que se prometem renovação e conquista de harmonia.

A coragem desses apóstolos do amor e do sacrifício pessoal ultrapassa o habitual, proporcionando o entendimento em torno do auxílio espiritual que a vitalizava.

Transcendia, às vezes, à compreensão humana, em face da grandiosidade de que se revestia.

Mulheres e homens, adolescentes e anciãos, sadios e enfermos que tomaram  conhecimento de Jesus e da Sua doutrina, através de informações daqueles que conviveram com Ele ou de outros missionários, eram dominados por tão peregrina força que nada os atemorizava, quando convidados ao sacrifício.

Avançavam para o testemunho com a alma em júbilo pela honra de dar-Lhe a existência.

Suplícios implacáveis, ameaças perversas e mortes tenebrosas eram-lhes impostos, sem que o temor os assustasse ou o desejo de fugir para prosseguir vivendo os atraísse…

Indubitavelmente, Jesus e os Seus mensageiros fortaleciam-nos nos momentos que antecediam o martírio, logo os recebendo em júbilo além da esfera física.

Mudou a paisagem através dos tempos e os discípulos do Evangelho distraíram-se, afastaram-se do holocausto, da abnegação total e mesmo parcial. Para que não se apagassem na memória dos evos os exemplos sublimes, periodicamente renasceram na Terra os Seus amorosos seguidores que clarearam as noites de perturbação e ignorância, trazendo-O de volta como luz inapagável.

Na atualidade, rica de pobreza moral, ornada de grandezas e de misérias, os sinceros discípulos de Jesus, com as nobres exceções conhecidas, apresentam-se assustados, queixosos, amarfanhados emocionalmente, sem disposição íntima para compreender o significado de fidelidade ao Evangelho.

O bafio pestífero do prazer anestesiante sedu-los e arrasta-os, embora os propósitos sinceros de permanecerem fiéis ao ideal.

Esta é a hora de demonstração viva da fé incomparável, que elucida quanto à necessidade de renunciar-se um pouco aos favores do mundo, a fim de fruir-se bênçãos em abundância.

Os Espíritos do Senhor convidam e advertem em momentosas comunicações mediúnicas, sustentando a coragem e o devotamento nos desfalecentes, a fim de alcançarem a reabilitação, a paz de consciência.

Indispensável fazer-se uma releitura das vidas incomparáveis dos apóstolos do Evangelho em todos os tempos, de modo a recompor-se condutas e vivências, aceitando os percalços, os desafios e os chamados infortúnios existenciais com alegria e paz interior.

A aferição dos valores espirituais mediante os testemunhos é inevitável, neste momento, qual ocorre em outras áreas da vivência humana.

Cristo é também evocação de cruz.

Abraçando-a, Francisco de Assis assemelhou-se a Cristo e,  transformando-a em asas de sublimação, Cristo elevou Francisco à glória celestial.

Quando o desânimo se te insinue, em tentativa de dominar-te, vigia as nascentes do coração e robustece-te com a coragem de lutar.

Quando o sofrimento se te apresente sob qualquer forma, ora e alça-te além das fronteiras humanas, para que te renoves e superes a circunstância afligente que te leva à angústia.

Quando o cansaço envolver-te nas suas malhas asfixiantes, serve mais e perceberás que a mudança de área de trabalho facilitar-te-á a renovação íntima e o bem-estar.

Quando a maledicência e a calúnia tentarem envenenar-te as emoções nobres, silencia qualquer esclarecimento e o vento tempestuoso do mal passará sem produzir-te dano.

Quando a perseguição gratuita ameaçar-te as realizações enobrecedoras, recorda-te de Jesus, traído por um amigo, por outro negado, não uma, porém três vezes, e prossegue integérrimo.

Quando te sentires em abandono, sorvendo a taça da solidão à borda do desespero, entrega-te ao Mestre e Ele te fará companhia, repletando-te de ternura e de paz.

Não receberás na Terra o salário do amor pela tua ação iluminativa, porque as sombras que dominam os arraiais humanos ainda impedem que tal aconteça.

Serás recompensado de maneira inimaginável depois de percorrido o caminho redentor, assinalado pelas pequenas vitórias sobre as paixões primárias que teimam em fustigar as emoções superiores.

Não te permitas as queixas nem as reclamações que explodem em cólera e combates infelizes.

Escolheste Jesus e não Pilatos ou Anás, ou Caifás, embora por algum tempo houvesses optado por Barrabás…

Esta é a tua oportunidade rica de conquistas,  que solicitaste e te foi concedida.

Frui-a, a fim de permaneceres em equilíbrio e alegria em todas as circunstâncias do processo evolutivo.

*   *   *

Nunca te encontrarás a sós, sem o divino amparo nem o doce e seguro envolvimento do amor.

Se não o perceberes ante o trovejar das ocorrências em desalinho, prossegue fiel e duas mãos cariciosas te sustentarão enquanto a Sua dúlcida voz te dirá: Eu estou aqui contigo, eu sou Jesus!

Joanna de Ângelis
Psicografia de Divaldo Pereira Franco,
 do livro Segue em harmonia, ed. LEAL.

Assine a versão impressa
Leia também