Jornal Mundo Espírita

Outubro de 2020 Número 1635 Ano 88
Momento Espírita Envie para um amigo Imprimir

A eterna luz do Natal

janeiro/2020

Elas sempre emocionam. Quando dezembro vai chegando, é maravilhoso contemplar as cidades se enchendo de luz.

Não poderia ser de outra forma, considerando que a comemoração gira em torno da Luz do Mundo que veio ter conosco, há dois milênios.

As canções que se ouvem, nas repartições comerciais, nas escolas, nos clubes, nos lares também nos remetem à emoção daquele momento em que a Estrela Maior abandonou os céus para iluminar o mundo.

Natal é isso. É luz. É música cantando nos corações. É confraternização, abraços, troca de pequenos mimos cujo valor reside na lembrança dada em nome de um grande rei.

Nessa alegria que nos envolve, quase sempre esquecemos que regiões existem, em nosso próprio país, em que o dia do Natal não difere de outros tantos dias.

No sertão agreste, na secura do solo, nas casas pequenas, os grandes anúncios do comércio não chegam.

Suspiro, um distrito do município de Betânia do Piauí, a quinhentos e dez quilômetros da capital, Teresina, foi surpreendida, certa feita, pela ação de uma empresa de renome, ao ensejo da proximidade do Natal.

A localidade é desprovida de energia elétrica. Televisão? Computador? Só em sonho. Celular, somente os de poucas casas que contam com sistema de telefonia rural.

Smartphone é um aparelho tão raro quanto chuvas em período de seca.

Então, um caminhão cheio de luzes chegou. Logo se transformou em um palco, frente ao qual se reuniu a população inteira.

E os olhos surpresos das crianças e adultos viram, pela primeira vez, a figura simpática de um Papai Noel vestido de vermelho e branco.

Um Papai Noel de barbas e cabelo branco mas que ofereceu brinquedos, jogou bola em meio à poeira. Bola de verdade porque, até então, as disputas de futebol eram com improvisadas bolas de panos enrolados.

Naquele sertão, onde rara é a chuva, a magia até trouxe neve. A meninada quase ficou em êxtase e os mais idosos olhavam, espantados.

Será que algum dia tinham visto algo assim?

A noite foi de verdadeiro encanto.

Enquanto as crianças vibravam, pulavam, gritavam, nos pusemos a pensar.

Se um homem vestido como foi idealizado no século XX, associado à marca de determinada empresa, provoca tantas emoções, o que não conseguiria o próprio Aniversariante?

Algo muito importante para pensarmos toda vez que desejamos levar a magia do Natal a qualquer pessoa.

Falar e apresentar o verdadeiro sentido do Natal. Falar do Senhor das Estrelas que veio à Terra, da noite santa em que cantaram os anjos nos campos de Belém.

Em que magos do Oriente saíram de seus países para adorarem um menino, O Rei Solar.

Que magia maior do que essa?

Lembremos: a festa material das luzes, o encanto de um simpático velhinho que visita a comunidade uma vez no ano ou uma única vez, passará.

Os brinquedos com o tempo se quebrarão, gastos pelo uso e pelo transcorrer dos anos.

Mas o nascimento de um Rei é algo fenomenal, que jamais será esquecido.

O Rei que veio ter conosco e está sempre conosco.

Jesus! Como precisamos Te apresentar aos corações para que a alegria do Ano Novo se perpetue em todos os dias seguintes.

Redação do Momento Espírita

Assine a versão impressa
Leia também