Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

A criança, o jovem, a família e as novas tecnologias

junho/2017

Não há como negar, não há como fugir: o mundo virtual chegou para ficar! E como toda tecnologia desenvolvida pelo homem, pode trazer benefícios ou prejuízos, dependendo do uso que se faça dela. É nesse sentido que pais e responsáveis por crianças, adolescentes e jovens têm que estar atentos, acompanhando de perto o uso da tecnologia que está sendo colocada nas mãos desses menores, assim como deve ocorrer em todas as outras áreas de vivência e formação dessa faixa etária: desempenho escolar, círculo de amigos, hábitos de alimentação, de higiene, entre tantos outros.

Riscos, nesta faixa etária e na vida em geral, sempre existiram. O que ocorre é que eles mudam de configuração. Por exemplo, a preocupação dos pais com as amizades dos filhos é coisa antiga. A diferença agora é que há necessidade de se preocupar com as amizades físicas e também com as amizades virtuais… aquelas dos grupos de Facebook, WhatsApp, Instagram etc. O mundo muda e os cuidados também devem mudar. O que não muda é a importância que instituições como família e religião têm na formação moral de crianças e jovens.

 

A família

É difícil deixar crianças e jovens sem acesso aos recursos tecnológicos, sem acesso à internet e celular. Não há como isolar os filhos em uma bolha ilusória de um mundo bom e perfeito. A realidade do dia a dia nos mostra e as revelações do mundo espiritual confirmam o delicado momento pelo qual transitamos no orbe terrestre a fim de futuramente gozarmos maior harmonia e felicidade, fazendo cumprir a lei divina do amor.

Ao invés de isolarmos nossas crianças e jovens do mundo, temos de estar com eles no mundo para que possamos orientá-los quanto ao certo e o errado, quanto ao bem e ao mal. Compartilhar momentos intensos de vivência dentro do lar, compartilhar as vivências proporcionadas pelas escolas, interessar-se pelos seus estudos, conhecer seus amigos, ouvir as músicas que eles estão escutando, ver os filmes que estão assistindo e, principalmente, escutá-los. Quantas vezes, entre tantos afazeres diários em que estamos envolvidos, os filhos nos chegam para falar de algo e não lhes damos ouvidos, não prestamos atenção ou pedimos para falar mais tarde porque: Agora não dá… Com certeza, há momentos em que realmente não dá… mas esses momentos devem ser exceção, não regra. Muitas vezes o que seria dito naquele instante, não será dito novamente mais tarde; momentos únicos que podem não voltar. Dar espaço para que eles falem, contem suas histórias, suas experiências, é de suma importância se não os quisermos isolados no seu mundo virtual.

Sabendo que a família será sempre a referência primeira para as crianças e para os jovens, os adultos têm de estar preocupados com a sua própria conduta diária para que sejam bons exemplos aos filhos, sobrinhos, netos. Observar a si mesmos sobre o uso que estão fazendo da tecnologia, especialmente dentro do lar, para não incorrer mais uma vez no discurso oposto à prática cotidiana. Se não queremos ver os nossos filhos grudados o tempo todo no aparelho celular, temos de nos policiar para não desenvolvermos, nós mesmos, esse hábito. Se queremos mais tempo de conversa e convivência, precisamos ter tempo disponível para a família. Se estamos preocupados com as séries de TV que os nossos filhos assistem, necessitamos escolher também para nós, programas que possam ser assistidos por toda a família, em conjunto, os quais podem, posteriormente, ser assunto de discussão e de aprendizado.

A vivência em família é essencial, pois os jovens e crianças vão se revelar nos momentos de convívio familiar e os pais e responsáveis atentos poderão intervir, de forma oportuna, na melhor hora em que a lição pode ser dada.

 

A Evangelização Espírita

Da mesma forma como o aprendizado dentro do lar é de valia inigualável, a frequência ao Centro Espírita é recurso especial para a consolidação dos valores morais e desenvolvimento das virtudes do homem de bem que queremos para a humanidade do hoje e do amanhã.

O Centro Espírita é escola bendita para as almas que buscam a ascensão espiritual, é espaço protegido e amparado pelos benfeitores espirituais, onde crianças, jovens e adultos fortalecem a vivência do bem.

É o local onde infância e juventude têm oportunidade de reflexão sobre os valores da vida, de vivência no bem, e onde vão encontrar, com certeza, muito mais do que treze razões para viver, para defender a vida, para promover a paz e a justiça, ao contrário de programas como a série Netflix 13 reasons why, que retrata treze razões que, supostamente, levaram uma jovem a atentar contra a própria vida. O local que lhes trará inspiração para desenvolver programas e ações no bem em oposição a jogos destrutivos como o Baleia Azul, que promove desafios danosos à saúde e integridade física, incitando inclusive o suicídio em sua etapa final.

Mais uma vez, ir ao Centro Espírita, deve ser atividade comum da família, participando conjuntamente dos estudos, dos eventos, das ações de promoção social, possibilitando convívio, fortalecendo laços, exemplificando ações de disciplina, de esforço e de amor a si mesmo e ao próximo. Atividade de aproximação de Jesus aos corações de todos, pois Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida, e com Ele próximo ao coração, teremos certeza de que nossas crianças e jovens aprenderão a desenvolver e utilizar das tecnologias de forma positiva, como ferramenta para a construção de um mundo melhor!

Assine a versão impressa
Leia também