Jornal Mundo Espírita

Dezembro de 2017 Número 1601 Ano 85

A concretização de um arrojado projeto

fevereiro/2017 - Por Maria Helena Marcon

Os homens, de um modo geral, somos muito imediatistas. Dessa forma, quase sempre, desejamos fórmulas rápidas para resolver antigos problemas que, exigem, verdadeiramente, uma ação profunda. Consequentemente, tempo e dedicação.

Assim, ao ser apresentado o Projeto de Qualificação do Trabalhador Espírita, ao Conselho Federativo Estadual – CFE, muitas foram as indagações e inúmeros os questionamentos. Afinal, o Projeto demandaria tempo, empreendimento de recursos humanos e materiais. Debatida a matéria e detalhadamente apresentada pela Coordenação da Área de Estudo da FEP, mereceu aprovação, em 2013.

Envolvendo, desde o seu início, trabalhadores das Uniões Regionais Espíritas – UREs, os departamentos e coordenadorias da FEP num esforço conjunto, foram estabelecidas as fases:

1ª – Formação/Qualificação de multiplicadores – desenvolvida no Recanto Lins de Vasconcellos, de fevereiro a agosto de 2014. Participação de dois trabalhadores de livre indicação de cada URE, todos os diretores de departamento e coordenadores de área da FEP.

Foram 60 horas de estudo, sob a segura direção de Sandra Della Pola, que já vinha colaborando com o Curso de Qualificação do Trabalhador da Mediunidade da FEP.

2ª – Formação/Qualificação do trabalhador do Centro Espírita – desenvolvida nas UREs pelos multiplicadores formados/qualificados na fase anterior. As UREs que aderiram ao Projeto, em sua área de abrangência, abriram espaço, apoiando-os, para o repasse do conteúdo da fase inicial.

3ª – Formação/Qualificação de multiplicadores para as áreas  – desenvolvida no Recanto Lins de Vasconcellos. Agora, dentre os participantes da segunda fase, foram indicados pelas UREs dois para cada área: Assistência e Promoção Social Espírita; Atendimento Espiritual no Centro Espírita; Comunicação Social Espírita; Estudo da Doutrina Espírita; Infância e Juventude e Unificação/Expansão do Movimento Espírita. Não contemplada a Mediunidade, já em fase adiantada de Curso de Qualificação.

Iniciada em 2015, adentrou os meses de 2016, finalizando algumas áreas, antes do que outras, considerando-se os conteúdos específicos e a carga horária estabelecida, pelos seus coordenadores.

4ª – Formação/Qualificação do trabalhador das áreas – desenvolvida nas UREs, pelos multiplicadores formados/qualificados na terceira fase.

Quase quatro anos decorridos, estamos colhendo os frutos opimos de um trabalho perseverante e continuado. Um Projeto que veio para ficar e se transformou em Curso de Qualificação do Trabalhador Espírita.

Naturalmente, ao longo desses anos, houve quem desistisse; quem se acreditasse, em certo momento, inadequado para a tarefa da multiplicação; ou quem elencasse essa ou aquela dificuldade, para dar continuidade ao Curso.

Sem dúvida, no entanto, jamais se observou tanto comprometimento com a tarefa, tanta dedicação e, possivelmente, jamais tantos tenhamos estudado e estudado as obras da Codificação Espírita, os livros clássicos da Doutrina Espírita, e seus complementares, com tal profundidade.

O Encontro Estadual de Multiplicadores, realizado em novembro [2016] registrou nada menos do que duzentos multiplicadores, oriundos das mais diversas localidades do Estado. Um fato relevante observado foi a ocorrência da descentralização da cidade sede da URE, no processo da multiplicação, considerando-se a rede espalhada por tantas e diferentes cidades.

Nesse Projeto integrador, tendo o estudo como a base do trabalho, a FEP está alcançando a capacitação de expressivo número de trabalhadores, colaborando para o burilamento nas ações do Movimento Espírita no Paraná.

Com certeza, um Projeto arrojado e, nos termos em que foi concebido e está sendo desenvolvido, inédito no Movimento Espírita.

O ano que apenas se esboça traz uma carga horária de treinamentos jamais alcançada. Basta se consulte a Agenda da FEP – http://feparana.com.br/agenda/listagem/ – para se descobrir mais de cento e quarenta Cursos de Qualificação  programados para os próximos meses.

O Projeto, que se transformou em Curso, não alcançou o todo do Movimento Espírita. Ainda se aguarda a adesão de UREs e de Centros Espíritas. Mas, com certeza, o resultado é auspicioso.

Não somente estamos atendendo ao UNIDOS PARA CONSTRUIR O FUTURO, lema do Planejamento Estratégico da FEP 2014/2023, quanto à exortação de O Espírito de Verdade: Amai-vos e Instruí-vos, inserta em O Evangelho segundo o Espiritismo, capítulo VI, item 5.

Em breve, novas avaliações deverão ser efetivadas e desdobramentos surgirão, como consequência. Possivelmente, algumas ações deverão ser repensadas, conteúdos acrescidos, aprofundados.

Tudo para não se perder o foco: a Qualificação do Trabalhador Espírita. Em época de transição planetária, os Centros Espíritas devem estar preparados para bem recepcionar quem os busque, atendendo-lhes as necessidades de esclarecimento, consolo, exatamente como um colo de mãe narrando a verdade atraente e bela ao filho querido. (Crestomatia da Imortalidade, Divaldo Pereira Franco/Espíritos diversos/cap. 21)

E, no ano em que comemoramos os 160 anos de Espiritismo na Terra, saudando o gigantesco trabalho do Codificador, sob a égide do Espírito de Verdade, nada mais justo de voltarmos os olhos para as orientações kardequianas, atendendo a um dos itens do Projeto 1868 (Obras Póstumas): Um curso regular de Espiritismo seria professado com o fim de desenvolver os princípios da Ciência e de difundir o gosto pelos estudos sérios. Este curso teria a vantagem de fundar a unidade de princípios, de fazer adeptos esclarecidos, capazes de espalhar as ideias espíritas e de desenvolver grande número de médiuns (…). Considero esse curso como de natureza a exercer capital influência sobre o futuro do Espiritismo e sobre suas consequências.

Que não se arrefeça o entusiasmo, que a união se fortifique, que os laços fraternos se estreitem, que a Unificação se torne realidade palpável, íntegra. Somos todos servidores de um só Senhor, o Cristo.

Fotos: Edizio Alencar Farias e Evandro Rabel

Assine a versão impressa
Leia também