Jornal Mundo Espírita

Junho de 2019 Número 1619 Ano 87
Notícias das URES Envie para um amigo Imprimir

4ª URE

janeiro/2017 - Por Graça Maria da Cruz

XXVII Jornada Espírita de Ribeirão do Pinhal

O Centro Espírita Irmão Jacob realizou, no mês de novembro, às sextas-feiras, a sua Jornada Espírita, com a participação de oradores convidados: dia 4, Geraldo Saviani, de Londrina (Justiça Divina); dia 11, Graça Maria da Cruz, de Cambará (Jesus e a Neurociência); dia 18, Luiz Antônio da Silva, de Santo Antônio da Platina (O ser que eu quero ser… que caminhos percorrer) e, encerrando, no dia 25, Geremias Irmani, de Faxinal (Jesus na atualidade).

Foto: Jamil Siqueira

 

Centro Espírita Camille Flammarion completa 70 anos.

Criado, juridicamente, em 2 de dezembro de 1946, em Cambará,  teve sua sede, na Rua Otávio Rodrigues Ferreira Filho,  1350 construída aos poucos, nos anos seguintes, por muitas mãos.

Primeiro um barracão, depois muro, salas, banheiros, varanda, forro, biblioteca, e, no ano de 2015, uma reforma completa na estrutura, com construção de novas salas e  ampliação da biblioteca.

Seu nome primitivo era Centro Espírita Luz e Verdade, passando a se chamar Centro Espírita Camille Flammarion por sugestão recebida de um espírita francês que passou pela cidade.

Seus trabalhadores, desde o início, não permitiram o desvirtuamento dos ensinos da Codificação Kardequiana, nem do Evangelho do Cristo.

Em 1974, a cidade teve inaugurada a primeira creche, com o nome de Lar Anália Franco, que passou a ser uma extensão filantrópica do Camille Flammarion. Hoje, o Lar administra, em parceria com a Prefeitura de Cambará, e convênios governamentais, o Centro de Educação Infantil Mensageiros de Luz, que atende crianças de 0 a 4 anos.

O sobrenome Trautwein, tem uma importância muito grande na trajetória dos70 anos do Camille Flammarion. Entre os seus fundadores, Pedro Trautwein é alguém que se destaca, não somente pela vida digna e correta, mas também, por ser um dos disseminadores da Homeopatia no Brasil.

Em 1922, ele que era de família protestante, conheceu o Espiritismo e começou a estudar as obras de Allan Kardec pelo Evangelho segundo o Espiritismo. Veio com a família, para Cambará, em 1932.

Ao longo desses anos, visitaram a instituição Onofre Batista, João Pita, Cornélio Pires, Jhoni Doin, Hugo Gonçalves, Honório Mello, João Ghignone e Divaldo Pereira Franco.

Merece destaque, na vida dessa Instituição, Moacyr Trautwein, que foi seu presidente de 1951 a 1958, e  doou o terreno para a construção da sua sede. Em 1951, se propôs a doar 10% do rendimento anual de seus negócios, uma próspera revenda de tratores, enquanto no Camille Flammarion, houvesse a prática dos ensinos espíritas.

Também Hélio Romano que, ao lado da esposa e a sogra Nair Trautwein Pinheiro, fundaram a Mocidade Espírita Cairbar Schutel, de Cambará. Igualmente a família Balbino contribuiu com o Camille Flammarion: Airton e Neonete foram presidentes; Lenita foi secretária.

Foto: Acervo C. E. Camille Flammarion

Assine a versão impressa
Leia também