Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87

Trabalhadores do DIJ em ação

março/2010

Roger Lopes Andrade

1 ? Como Diretor do DIJ da URE Metropolitana Norte, qual a sua visão da tarefa de evangelização?

 A tarefa é um aprendizado sem fim, onde cultivamos, nos espíritos reencarnantes, o desenvolvimento da moral e exercitamos isso em nós.

Os evangelizados ainda pequeninos estimulam-nos à flexibilidade, à criatividade, à busca por conhecimentos doutrinários e à exemplificação moral. Esta situação é potencializada quando o assunto são os grupos de jovens, carentes de sustentação moral, que procuram na Doutrina Espírita e em Jesus o esclarecimento e o conforto para os seus corações sedentos de orientação e de amor.

A tarefa de evangelização é uma das formas de exercitarmos a caridade; de darmos nosso tempo à ação do amor; de sermos instrumento do Cristo, dando atenção, escutando, conversando e exemplificando os seus ensinamentos.

Estas ações, que são simples dentro de um ambiente cheio de fraternidade, como é o caso da Casa Espírita, estimulam nas crianças e jovens a paciência, a sensibilidade em compreender o amor, a justiça e o respeito pelas pessoas. Dessa forma, tornam-se seres conscientes, esperançosos e engajados na promoção de um mundo mais humano.

 

2 ? Em sua opinião, qual seria a tarefa principal de um diretor de DIJ?

 A principal tarefa é caminhar junto ao Departamento de Infância e Juventude das Casas Espíritas para que o objetivo da evangelização seja alcançado. De que forma? Colaborando e auxiliando na concretização desse objetivo.

Além disso, o Diretor do DIJ da URE deve exercer o papel de elo de ligação entre o DIJ da Federação Espírita do Paraná e o DIJ das Casas Espíritas. O trabalho consiste em detectar as necessidades e divulgar as atividades e tarefas de ambos, viabilizando e facilitando a realização dos treinamentos e dos encontros e tirando bom proveito de tantas outras oportunidades que unificam não só o DIJ, mas também o Movimento Espírita no seu contexto familiar.

 

3 ? Pode o DIJ trabalhar sem o auxílio dos pais?

 O auxílio dos pais é imprescindível ao trabalho. Os pais são os responsáveis pela educação moral e intelectual de seus filhos. Dessa forma, o trabalho da evangelização é um reforço do trabalho de desenvolvimento moral que deve ser fomentado no Lar. Nestes doze anos como evangelizador, tenho escutado muitos relatos de companheiros evangelizadores e pais sobre a importância da continuação da evangelização em casa. Nos momentos da evangelização, as crianças e jovens trocam informações e comparam as experiências que vivenciam em casa e na escola.

Os pais dão importância à evangelização e acreditam nela quando participam da mesma, seja evangelizando; seja conversando com o evangelizador sobre seus filhos; seja participando de grupos de pais ou estudando na Casa Espírita. É importante que os evangelizandos percebam a presença de seus pais no mesmo ambiente que eles estão frequentando. Eu diria que este é um dos maiores incentivos que as crianças e jovens podem ter.

 

4 ? Como os cursos/treinamentos poderão auxiliar os evangelizadores e coordenadores de juventudes?

A fortalecer os conhecimentos. Os cursos e treinamentos visam a atualização dos conteúdos, o que é sempre bem-vindo. A busca por métodos e técnicas é incessante para que haja um melhor aproveitamento do tempo com os evangelizandos. A didática pedagógica certa possibilita o direcionamento correto do conteúdo a ser explorado.

 

5 ? A Federação Espírita vem cumprindo a tarefa de dinamizar os DIJ das URE? Como?

 Sim, com um esforço nunca visto. O DIJ da FEP vem atendendo nossas necessidades. Além disso, tem-se a oportunidade do diálogo criativo, crítico, construtivo e não centralizado. O movimento enriquece e cresce. Fico muitíssimo feliz em ver o empenho da federativa. Parabéns.

A palavra que define tudo isto é “dinâmica”. Ela traduz o dia a dia dos evangelizadores, dos evangelizandos e dos diretores de DIJ das Casas Espíritas. É isso que queremos, pois é assim que somos: dinâmicos, verdadeiros artistas criando a cada encontro uma atividade diferente.

6 ? Deixe aqui sua mensagem aos evangelizadores e coordenadores de juventudes.

 A expansão do Movimento Espírita é fruto do trabalho incessante de evangelização, que vem facultando ao Brasil a condição de “Coração do Mundo e a pátria do Evangelho” como bem diz o Espírito de Humberto de Campos, por intermédio de Francisco Cândido Xavier.

Segundo o Espírito de Guillon Ribeiro, “É através da evangelização que o Espiritismo desenvolve seu mais valioso programa de assistência educativa ao homem. Que dirigentes e diretores, colaboradores diretos e indiretos, prestigiem sempre mais o atendimento a crianças e jovens, nos agrupamentos espíritas, seja adequando-lhes a ambiência para tal mister, adaptando ou ainda improvisando meios, de tal sorte que a evangelização se efetue, se desenvolva, cresça, ilumine…”

Evangelizemos por amor. Que cada um plante a semente desse mundo de regeneração que estamos aguardando. Façamos a nossa parte, construindo nas mentes dos jovens e das crianças a esperança e a fé no Cristo. Que possamos pôr em prática seus ensinamentos na evangelização, pois o caminho ao Criador é seguindo a sombra do Mestre de Amor.

Esta é a mensagem que deixo a todos, além do meu muito obrigado a cada evangelizador e a cada diretor de DIJ das Casas Espíritas da região, pelo empenho e dedicação a esta obra bendita que é a evangelização.

 

Assine a versão impressa
Leia também