Jornal Mundo Espírita

Setembro de 2019 Número 1622 Ano 87
Notícias das URES Envie para um amigo Imprimir

1ª URE

Regresso à pátria espiritual

fevereiro/2016

Um homem simples, conhecido como Seu Nazir ou  Professor Nazir, morador da cidade de Morretes, nasceu em 21 de fevereiro de 1928.

Exerceu a contabilidade por um período e depois aceitou prestar serviços voluntariamente  nas áreas jurídicas e do magistério. Trabalhou gratuitamente na Justiça, auxiliando os que não podiam contratar um advogado para sua defensoria e também atuou como professor, lecionando gratuitamente na Escola Técnica de Comércio, fundada em 1955. Essa experiência  lhe despertou a paixão pelo magistério e, após  cursar a Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Paranaguá, prestou dois concursos na área estadual, efetivando-se como estatutário na disciplina de Português, com lotação no Colégio Estadual Rocha Pombo.

Na Escola Técnica de Comércio atuou também como Diretor, no período de 1961 a 1979, quando a escola foi desativada. Seu trabalho continuou a ser ativo como  professor e diretor auxiliar, no Colégio Estadual Rocha Pombo, que havia absorvido os cursos desativados na Escola Técnica de Comércio.

Em 1952, época onde exatamente sua vida profissional iniciava, também teve também início algo maior. A Doutrina Espírita  despertou-lhe interesse e, buscando estudar a respeito, tornou-se assíduo frequentador da União Beneficente Jesus Maria José, da cidade de Morretes.

Teve a grata oportunidade de acompanhar o trabalho que estava sendo realizado nas dependências dessa instituição, visando a assistência social, sendo fundado o Retiro Fraterno de Meninos que, em conjunto  com o então denominado Asilo à Velhice Desamparada de Morretes, passou a constituir a área assistencial da União Espírita Jesus Maria José.

Esse homem simples jamais esqueceu a gratidão por Tone, Antonio José Gonçalves Filho, Presidente da União Espírita Jesus Maria José, na época em que iniciou na Doutrina Espírita, e que foi seu mentor nas atividades relativas à Casa Espírita e em sua vida profissional.

Foi seu grande amigo até sua desencarnação em 1969, após liderar o Movimento Espírita em Morretes,  por trinta e três anos.  A partir desse ano, Nazir assumiu a Presidência da União Espírita Jesus Maria José, exercendo-a pelo espaço de trinta e sete anos, compreendidos entre 1969 e 2004.

Em sua gestão, o Retiro Fraterno dos Meninos foi desativado pois, por lei, necessitava de adaptações, que seriam inviáveis financeiramente.

Nessa mesma ocasião, 1975, o Asilo à Velhice Desamparada de Morretes  passou a   ser denominado Recanto Fraterno, desativado em 2009,  por inviáveis a adaptação que lhe seria necessária para atender a normais legais.

Em suas palavras :  Grandes transformações  sofreu a assistência social, a partir da década de 80. Posso definir como resultado delas as palavras de ordem: integração e promoção social. De fato, quando se dá assistência à família carente, fragmentada pela pobreza e pela ignorância, e perseguimos a meta da promoção social integrada, envolvemos toda a família, inserindo por força disso, crianças e idosos que dela fazem parte.

Em 2004, assumiu a tesouraria da Instituição, permanecendo na função até  5 de janeiro de 2010.

Trabalhou pelo Movimento Espírita ensinando, palestrando, fazendo parte também da 1ª União Regional Espírita – URE, da qual foi ativo Presidente de   a   .

Nazir foi um gigante, na maneira gentil de tratar seus semelhantes. Nos seus 87 anos, conservava a doçura no olhar, o sorriso suave nos lábios, a palavra serena ao ensinar e, através de seus exemplos, demonstrava que muito mais importante do que falar é aprender a ouvir.

Esse grande homem, que nos ensinou o verdadeiro significado da palavra simples, após cumprir jornada reencarnatória, retornou para a Pátria Espiritual, no dia  27 de novembro de 2015, levando na bagagem nossa admiração, nosso respeito, nosso carinho, nosso amor fraterno e nossa saudade.

Além de sua filha Marisa, genro Odilon e os netos Bruno, Luciano e Taís, filhos desses, e seu neto Gustavo, filho de Maurício (desencarnado), deixou aqui também, muitos amigos, companheiros de jornada profissional e espírita.

Que Deus lhe permita um feliz reencontro com seu querido filho Maurício.

Foto: Acervo familiar

Assine a versão impressa
Leia também