Jornal Mundo Espírita

Dezembro de 2017 Número 1601 Ano 85

17º Movimento Você e a Paz e a Mansão do Caminho

fevereiro/2015

Retornando de seu giro pela Tunísia e Espanha, Divaldo Pereira Franco, incansável, preparou-se para as atividades do Movimento, em Salvador, que se realizou de 12 a 19 de dezembro de 2014, no Dique do Tororó; na Praça Tricolor; na Praça General Pedro Labatut e o encerramento, na Praça do Campo Grande, sempre com grande público.

Divaldo recebeu, ainda, no Centro Espírita Caminho da Redenção as caravanas de vários Estados do Brasil, para acompanharem as atividades do Movimento, brindando-os com sua palavra nas reuniões noturnas de 13, 16, 18 e 20.

O Memorial

Na manhã do dia 16, nas instalações da Gráfica Alvorada, no complexo Mansão do Caminho, inaugurou o Memorial Nilson de Souza Pereira, uma homenagem ao abnegado e dedicado trabalhador espírita, desencarnado em 21 de novembro de 2013.

O ambiente transmitia emoção e os que haviam privado de sua amizade e deferência, sentiram-se especialmente tocados em seus corações saudosos.

Nas palavras de Divaldo, Nilson foi um homem ímpar, íntegro, um Espírito de escol. Seu exemplo e retidão de caráter emergiam de seu íntimo, alcançando todos os que com ele tinham contato, envolvendo-os com grande ternura. É muito comum nós sugerirmos a fé em Jesus. Nilson tinha, e tem, muita fé em Jesus, porém o que mais me fascinava é que ele possui a fé de Jesus, essa fé integral, essa certeza inabalável da imortalidade da alma.

Comemoração natalina

Não esquecendo do verdadeiro sentido do Natal, Divaldo o comemorou, com os assistidos da Caravana Auta de Souza, da Mansão do Caminho: cinquenta e oito pessoas com mais de 70 anos de idade; vinte e duas famílias vulneráveis socialmente; setenta e quatro aidéticos; onze gestantes; quarenta idosos em situação de vulnerabilidade; quarenta e oito doentes graves. A Caravana realiza esse trabalho há sessenta e dois anos, ininterruptamente.

Uma festa de amor, com Divaldo distribuindo abraços, cumprimentos, sorrisos.

Fotos: Jorge Moehlecke

Assine a versão impressa
Leia também